11.5.13

Anicomics 2013

Anicomics 2013
Evento
Olá boa noite. Digamos que já cheguei a casa há algum tempo mas, devido a certo imprevisto, gastei esse entremeio a preparar certa coisa para remediar certo imprevisto. Agora, antes de me ir deitar que amanhã acordo cedo para continuar os remedeios, vou falar-vos um pouco deste evento, decorrendo neste fim de semana que se está passando.

A Anicomics é a convenção portuguesa, ou pelo menos lisboeta, que tem uma grande força no cosplay mas cuja vertente é mais dirigida aos comics. Este ano apresentou-nos um horário recheado de coisas interessantes. Isto é, interessantes para quem se interessa por BD. Eu interesso-me, mas não acompanho a situação, pelo que todos os lançamentos me passam ao lado. Gostaria de ter assistido ao debate de sábado, coisa que não foi possível. Vejamos o que nos espera amanhã.

Tive medo que este ano, devido a maior afluência, não se pudesse estar na Biblioteca Orlando Ribeiro, o lugar habitual e já bem conhecido deste evento. No entanto a estratégia deste ano resultou maravilhosamente: abriram a biblioteca inteira. Assim tínhamos um auditório (e eu adoro o palco deste auditório), um foyer com a APC e o seu ponto de ajuda, a loja da Kingpin - única, o que só faz sentido pois este evento é da Kingpin - na rua e depois no outro edifício da biblioteca uma zona de jogos, jogos de tabuleiro e zona de artistas. Encomendei dois desenhos, que me esqueci de ir buscar (espero que estejam lá amanhã...) e amanhã irei procurar um phone-strap para a minha colecção.

Vejamos portanto o

Primeiro Dia

Cheguei bastante cedo, para pode tomar o pequeno almoço. Mas pequeno almoço e dois cafés depois ainda a porta não estava aberta e a fila já começava a engrossar. Felizmente avançou bem rápido assim que se abriu o portão.

Fui imediatamente para o workshop a que queria assistir mesmo: argumento de BD. Aprendi muitas coisas e espero que agora possa desenvolver alguns projectos (com alguém que não vai ler esta missiva mas de quem gosto muito). Quis falar ao orador um pouco sobre um dos projectos, e enviarei um mail quando tiver limado algumas arestas com os conhecimentos que obtive, mas ele não me ligou nenhuma. Fiquei com pena. Este workshop foi bastante longo e eu fui-me embora antes da conclusão propriamente dita. Tinha coisas que fazer, mas na realidade o que me atormentava era uma fome danada já com fraqueza incluída.

Por isso fomos comer. Estive acompanhada todo o dia pela Hota-chan, que fazia de Misa para o meu cosplay de Light (ou vice-versa. De Death Note, a quem não saiba) e pelos seus amigos informáticos. Comemos pizzas, mas demoramo-nos tanto que acabámos por perder outro workshop a que nos tinhamos inscrito, o de perucas. Espero que não tenham ensinado muitas coisas que eu não saiba e peço desculpa, se a oradora ler, por não termos estado presentes. Mas estávamos a comer, coisa que é muito mais importante a meu ver.

Ah sim, o cosplay. Pois que fui reciclar o meu primeiríssimo cosplay, para acompanhar a Hota. Fomos participar no concurso de cosplay, que nos ocupou a tarde toda. Ora, eu vi muita gente olhando de ladex para mim, sobretudo outros cosplayers de Lights e de Misas. Fique-se sabendo aqui publicamente que este é o meu mais totalmente cagativo cosplay. Foi todo comprado no Chinês, a peruca veio de uma loja de máscaras e consequentemente não é tão exacta como o desejado. Ainda pensei em comprar uma nova, mas como isto não é cosplay que eu use ou vá usar muitas vezes esta serve perfeitamente. Eu nem sequer gosto muito de Death Note. Mas se quiserem saber mais sobre este cosplay, consultem o meu Cosplay Portfolio, é logo o primeiro. Enfim, eu até pensei em levar mesmo para a caricatura e fazer um Light traveca, de salto alto e brincos. Mas a Hota não me deixou. Contas feitas, com o nosso skit de comédia intitulado "Mata a Troika!", fomos apuradas para a final. É esse o imprevisto.

Nós não preparámos nada para a final.

Tinhamos uma ideia do que gostávamos de fazer, por isso estive agora a editar o vídeo. Mas não ensaiámos. Passaremos o dia de amanhã no jardim a fazê-lo. E eu também vou participar no Eurocosplay, pelo que terei de mudar de fato. Vai ser bonito, vai.

Mas mais tarde, quando estiver tudo online, comentarei os sukitos um a um e falarei melhor sobre o nosso. :)

Cheguei a casa para tomar banho e fazer isto, com apêndices peitorais a saltar para fora das ligaduras por tudo quanto era lado (faz muita comichão e estava um calor que não se podia no backstage, foi um sofrimento usar este fato que agora jaz num cabide todo fedorento)

Mas ainda se passou bem a tarde no backstage, sempre na conversa desregulada com as várias pessoas que nos rodeavam. Amanhã é que vai ser o caos, marquem as minhas palavras.

Spoiler: o skit vai ser trágico.

Fotos do Primeiro Dia
(as preferidas)



 Da exposição de Banda Desenhada, este foi o meu painel preferido. Porque wtf, é uma baleia com cara de pessoa. Acho que amanhã vou deixar a mão-de-vaquice de lado e comprar uma prendinha para o bói, dos comics que lá estavam.


 A Hota, vejam como é giro o fato dela!






Desculpem lá isto hoje não ter tanta piada como é costume, mas estou mesmo assassinada da mente e preocupada com o que se vai passar amanhã. Eu depois vou colocar um link de download com as fotos todas em melhor qualidade (o máximo que a minha capacidade de fotógrafa permite). Queira Gackt, há-de correr tudo bem! Até amanhã!

A nossa foto parva de Sábado 8D

Segundo Dia

Pois que a minha mãe me deu boleia, pois eu estava carregada que nem um macho (macho da mula, claro). Encontrámo-nos às nove e meia da manhã para ensaiar, com tempo de cravar um penso rápido à Shing porque a Hota se arruinou pelo caminho.

Fomos para o jardim e decidimos, com ajuda da letra, as nossas marcações para a música do skit deste dia. Como disse ontem, escolhemos fazer uma coisa mais séria e trágica para este skit, uma coisa conceptual. Explicarei melhor quando falar sobre o vídeo, nos meus habituais comentários. E o jardim até era agradável, fora pistas de fluídos pouco recomendáveis que encontrámos por acaso. Yuck, sífilis.

Depois, concurso de karalhoke. Se aparecer o nosso vídeo por aí coloco-o aqui em baixo, mas digamos que não correu tão bem como esperávamos. Usámos uma música do anime Natsu no Sora, mas como é um anime um pouco obscuro (e mais obscura era a insert song sobre alforrecas que usámos) não conseguimos encontrar o audio sem vocais. Ainda pensei em separá-los eu, mas esta música não tem muitos baixos, por isso não ia ficar bem. Assim, a nossa voz não se ouvia muito. Eu só ouvia a Hota e ela só me ouvia a mim. Ainda assim acho que não cantámos mal. Eu não sei cantar e os fumos mataram-me a voz, só consigo cantar graves e os agudos matam-me. Por isso escolhemos esta música, porque era fácil para mim (e porque é muito gira!). Assisti a grande parte do concurso e só tenho uma coisa a dizer: não escolham músicas que não têm capacidade de cantar. Se não chegam aos agudos, não cantem uma música cheia deles. Se não têm boa dicção, já sabem. Achei que a moça que ganhou, que começou logo por dizer que estava muito nervosa, cantou muito bem, apesar de ter falhado uma ou outra vez (precisamente por estar nervosa, sacam?). Mereceu muito. Para a próxima escolhemos José Cid uma música que toda a gente conheça e que seja a Cabana Junto à Praia tenha uma versão instrumental disponível.


Mas a brincar a brincar, com uns jogos que eles estavam a fazer antes do concurso, atrasou tudo e quando fomos almoçar já era uma e vinte. Consequentemente, mais uma vez!, não conseguimos ir ao workshop que queríamos! Este é que era o de perucas, ontem (enganei-me) era o de maquilhagem. Daaamn. Por isso fomos logo para o backstage, onde pus a fatiota de Meroko e nos pusémos lá num canto mais escondido a ensaiar. Desta vez com música! Se soubessem a nossa luta... O formato do vídeo não funcionava no telemóvel da Hota, depois não tinhamos wireless para o sacar outra vez, conseguimos finalmente sacar a música dentro do auditório. Mas ao menos tinhamos música para ensaiar, viva!

Ah, uma nota ligeiramente desagradável. Descurti fenomenalmente a atitude da moça que estava a apresentar as actividades no auditório, nomeadamente o concurso de karalhoke. "Ah, eu não tenho pachorra" não é coisa que se diga. E "visitem o nosso site que ainda não existe" só atrasava mais e mais as coisas. Fique registado que disseram o nome da coisa deles uma montanha de vezes e que eu não o memorizei. Qualquer coisa project. Tisana Project? Para a próxima escolham um nome mais fácil de lembrar.

Passámos o resto do dia, essencialmente, dentro do backstage. Antes de ir para lá apanhei os meus dois desenhos e comprei um phone-strap que é um gato com um guizo lá dentro. Assim, o meu espólio são dois desenhos, o phone-strap e o manga de Gogo Monster (que estava um bocadinho pequenino muito caro, mas que eu não resisti a comprar por ter sido recomendado como leitura semanal no meu clube elitista). Vejam os meus desenhos!

 Ora, esta moça foi a que desenhou o meu António no Iberanime. Quando vi que estava a vender um Ricárdio (Cárdio porque é um coração, de génio!) pedi-lhe um. Mas havia uma promoção! Um Ricárdio e uma Avestruz, um Ricárdio em cima de uma avestruz ou, no meu caso, uma avestruz em cima de um Ricárdio! E aí estão eles! Que fofinhos!

Gostei dos desenhos desta moça, então pedi-lhe um, uma coisa que ela quisesse desenhar. Como não tínhamos ideias (eu só me lembrava do Yang Wenli, quem é que sabe quem raios é o Yang Wenli?) ela mostrou-me uns egípcios num bloco e eu disse "então desenha aí um gajo muita bom!". Confere <3

Fica o recado de que eu acho que vocês deviam vender estes desenhos mais caros.

Perontes, backstage, vestir, começa a fase em que eu começo a ser mal-criada e a dizer palavrotes, como cócó, penís e rabinho e etecoetara. Perdão.

Eu era a terceira no Eurocosplay e acho que não me correu muito bem. Darei mais detalhes no vídeo (esperemos para quando estiverem todos online). Estava toda a tremer de nervos, as coisas não se desenrolaram (literalmente) como eu tinha ensaiado, estava com uma dor de dentes associada a dores de cabeça (por causa da bandelete do meu chapéu, que é muito pequena e me aperta a cabeça), enfim, tudo errado. Mas fiz o skit que queria fazer e publicitei o que queria publicitar, que era a Revelação, a nossa música.

Mudança super-sónica de fato, não tive tempo de fazer o binding nem de me voltar a maquilhar.

Somos as segundas da final do concurso de cosplay normal. E, ao contrário do anterior, estava numa paz completa e absoluta. Senti-me muito bem e acho que correu bastante bem. Cada vez que olhava para o ponto mais em baixo via um jovem a fazer-me sinalefas de que estava a correr bem e ainda me senti mais motivada. Fiquei com pena que a música não tivesse sido reconhecida imediatamente. Esta música foi-me mostrada por um amigo próximo (o mesmo que gravou a voz do Light no Mata a Troika! e que fez a música da Revelação comigo, ou eu com ele aliás) e pensei logo que era perfeita para o Light e para a Misa. Mas mais considerações virão mais tarde, vou manter-vos no suspense! 8D Não ganhámos nada, mas o essencial é que tivemos a oportunidade de fazer este skit, que já estava na nossa mente e que achámos que nunca seria possível de concretizar. E só por isso valeu a pena!

Assim que saí mudei logo para roupas civis. Estava assassinada de calor e dores nos pés. Ainda esperámos bastante pela entrega dos prémios. Curioso, mas justo, que todos os prémios foram atribuídos a pessoas que fizeram o seu próprio fato.

Mas passou-se bem o tempo no backstage, converseta com os concorrentes e com o pessoal que ia fazer o show de cosplay dos "escolhidos" (hohoho).

Depois veio a minha mãe outra vez buscar-me, não tive tempo de me despedir de ninguém... Desculpem! E agora, depois de um longo banho, um longo lanche e um longo jantar, venho partilhar as fotos que tirei. Hahaha!


Fotos do Segundo Dia
(as preferidas)

 O nosso espaço de ensaio. À esquerda a minha tralha, ao centro Hota a tentar por a música a funcionar.


 Foto conceptual do dia.



 JOJOOOOO

 A moça dentro do bicho.






DOWNLOAD PARA AS FOTOS DOS DOIS DIAS
Muitas delas muito más, começo a perceber que não funciono bem com pouca luz.

Mas uma coisa que concluí... Estar nos concursos faz-nos perder grande parte do evento. Havia montes de coisas interessantes nesta Anicomics e eu só vi uma delas, porque tive de me focar nos concursos o resto do tempo (e em almoçar). É um pequeno dilema... Agora, esperemos pelos vídeos dos skits, que serão muitos, imensos. Mas eu vou comentá-los a todos! =D

A nossa habitual foto, para Domingo.
 
Variados Comentários sobre Outras Coisas

Uma semana depois do evento, ainda esperando pelos vídeos (a Stephy - moça que tinha as asas de borboleta no Eurocosplay - prometeu que os ia por, mas já estou com vergonha de lhos pedir tantas vezes por isso vou ser paciente e esperar que nem um ser humano que espera: a ler um livro), já deu tempo para pensar em algumas coisas e fazer alguns comentários sobre coisas que falharam na descrição sumária do evento que fiz em cima.

Falemos primeiro dos voluntários. Eu admiro estas pessoas, a sério. Sabem aproveitar o evento de outra forma: trabalhando nele e contribuindo para o bem-estar de todos. Lidei com três categorias de voluntários e (quase) todos fizeram um bom trabalho. Na cabine de som, estiveram sempre a entreter-nos em grande. Claro que PSY acaba por ser ligeiramente repetitivo depois dos primeiros cinco Gentlemans, sobretudo porque eu não sei a coreografia. Mas esperem, a coreografia é só por a mão no queixo e fazer cara de PSY. Mas eu não a sei, logo não a danço, logo urr. Em compensação, no backstage estavam sempre a dançá-la, voluntários ou não. As voluntárias que lá estavam ajudaram-me q.b. na mudança dos fatos, gráçadeuz, e aguentaram bem os meus maus-tratos disfarçados de sarcasmo, sempre habituais quando me encontro numa situação de stress (agora imaginem uma cirurgia, em que está toda a gente assim: "laqueia-me a puta da badana!", "não vejo a ponta de um corno (uterino)", "merda do bicho, cheio da sangue!") No entanto às vezes pareciam estar muito ausentes, todas sentadinhas a conversar umas com as outras, quando na Anicomics eu estava habituada aos mimos que eram ter sempre alguém disponível para arranjar um copo de água. Variações irrelevantes, enfim. Finalmente, o pessoal que estava na banca da Anicomics. Atenderam-me duas pessoas, uma rapariga e um rapaz. A rapariga foi bem mal-criadota para mim. Eu pergunto sempre "tem algum manga que seja volume único?" e ela ficou um bocado atarantada enquanto procurava dizer que não - o que significa que não fazia a mínima. Então eu vi um! O Gogo Monster, que comprei mais tarde! E disse "olha, está aqui um afinal!" e ela "ah mas esse não é volume único, é só um volume porque é especial *embrulha-se toda porque não fazia a mínima*" Ok, então se é assim e é assim tão caro não o vou comprar. No Domingo voltei e ele ainda lá estava, atendeu-me um rapaz. Este foi muito mais simpático, quando eu comentei o preço ele disse logo que tinham multibanco e isso convenceu-me a comprar. A sério pessoal, quanto mais simpáticos forem mais me (nos) convencem a comprar! Nem que seja pelo complexo de culpa "oh, esta pessoa foi tão simpática que tenho de comprar nem que seja um gachapon".

Que não havia, o que me leva a outro ponto: a parte comercial. A zona dos artistas foi uma excelente novidade, porque estava muito completa, mas a loja da Kingpin, que eu estava à espera que fosse a principal, foi desapontante. Manga obscuro só o que eu comprei, manga de volume único só o que eu comprei. Pessoalmente, quando compro manga em eventos não estou com desejos de começar uma nova colecção. Costumo comprar um stand-alone (fica sozinho) ou, no caso raro de haver, algo de uma colecção que eu já tenha começado ou que esteja nos meus planos. De resto, a variedade era parca. Muito poucas Action Figures e demasiados peluches, todos das séries populares. O que faz todo o sentido, porque sendo populares é o que mais pessoas gostam e, logo, é o que as pessoas compram. Mas o que mais me desgostou foi a total ausência de gachapons e a pouquíssima variedade de phone-straps na zona dos artistas. Fique a nota: tragam sempre os gachapons, porque são a coisa mais divertida de se comprar!

Mas bem, o que se passava de música, fora a Gentleman? Vou ser sincera: não reparei muito. Fora a música das Navegantes da Lua/Dragon Ball/Sakura, eu desconheço todas essas OPs de anime de que as pessoas tanto gostam. A sério, música japonesa tem uma profundidade muito para além da OP de anime. Convenhamos que a maioria são muito juvenis. Acho isto defeito de todos os eventos, estarem sempre a passar estas músicas sem piada nenhuma. Se eu mandasse, não só passavam os remixes do Amália Revisited, estavam sempre a passar Yellow Magic Orchestra.

A Hota diz que isto é uma questão de maturidade, que eu já cresci e que entretanto deixei de gostar das musiquinhas que me fascinavam há 10 anos atrás. Não creio que seja verdade, eu ainda gosto de Red Hot, Gabriel o Pensador e The Corrs (que era o que eu ouvia há 10 anos atrás juntamente com bandas sonoras de filmes da Disney. Ainda não tinha descoberto a existência dessa entidade que é o "Leitor de MP3") E falando de maturidade, o que me dizem do Caso do Tartaruga Genial Tarado? Pois é. Um cosplayer deste personagem, que todos recordamos como um pouco necessitado, decidiu abraçar as suas necessidades e pedir a diversas meninas que o deixassem apalpar-lhes os... Seios. Mamas. Blubblublub. Chegou a pedir à Hota, que ficou demasiado chocada. Não chegou a pedir-me a mim. Sorte a dele, que eu sou uma pessoa manifestamente violenta. Enfim, sobre isto eu acho muita coisa, mas para evitar uma chuva de ódio neste espaço vou apenas citar a conversa que tive com o pessoal:

Eu - Sabiam que houve um gajo mascarado de Tartaruga Genial que foi pedir às miudas para lhes apalpar as mamas? Miúdas pequenas e tudo!
Namuraduh - Não se meteu contigo pois não?
Eu - Não, teve sorte.
Dejepê - Haviam era de o apanhar com a miúda errada e mandar para a polícia
*dia seguinte*
Namuraduh - Fui ver o vídeo do gajo das mamas, o gajo é pedófilo, havia lá miúdas que não tinham mais de doze anos!
Eu - Então se calhar até podemos mandar esse para a polícia ^__^
 Enfim, depois ainda vêm com o "Respeite o Cosplayer" (Brasil) e o "Cosplay is not Consent" (Américas) e tal. Eu também tenho opiniões estabelecidas sobre isso, se estiverem interessados em ouvir talvez até faça um post de opinião. Estão?

Mudando de assunto, que estes assuntos são desagradáveis e não quero ter aqui ninguém desagradado nos meus comentários, que acharam vocês dos jogos? Vi consolas, sempre cheias, mas dessas não percebo. E vi um salão enorme com os jogos de tabuleiro... Gostava de ter ido jogar, mas estive sempre ocupada com o cosplay. Espero também que o Grupo de Roleplayers de Lisboa tenha tido sucesso! É a minha sina, calham sempre eventos de anime nos dias das sessões mensais e nunca posso ir...

Tive também muita pena de não ter podido ir a quase nada do que estava marcado no programa. Além dos workshops a que faltei (mais uma vez, peço desculpa por me ter inscrito e não ter estado presente, não tinha previsto que as coisas se atrasassem com o almoço) gostaria muito de ter assistido aos debates, ao lançamento da BD Superpig e aos prémios dos autores de BD - contando que mostravam o que eles tinham feito, hah. Já li, durante esta semana que passou, muitas reclamações em relação ao programa, mas eu achei que estava muito completo e muito interessante. Creio que os reclamantes estavam à espera de um evento diferente, mais ligado ao anime. Mas a Anicomics é um evento de BD e Cosplay. Seria o mesmo de reclamar por não haver uma tenda com pauliteiras de Miranda numa festa de trance (se bem que até era uma ideia engraçada)

Para finalizar este espaço de comentários randómicos, gostaria de parabenizar a Associação Portuguesa de Cosplay (APC e não ACP) pelo seu excelente trabalho na organização dos concursos e do show (que irei comentar assim que estiverem disponíveis online) a fazer outras coisas que não foram os concursos nem o show, que esses afinal foram todos pela mão da Anicomics (eu confundi-me porque vi lá atrás pessoas da APC a trabalhar e pensei que estivesse tudo interligado) e também pelo seu espaço SOS Cosplay, que pelos vistos ajudou umas dezenas de pessoas com os seus fatos. Acidentes acontecem sempre e ter material para arranjar as coisas, além de pesssoas que as sabem arranjar, é uma mais valia muito grande. Ah, também deu muito jeito ter lá as meninas da Benefit para nos maquilhar (a mim deram-me umas sobrancelhas novas). É uma marca de cosméticos muito boa e o facto de estarem lá a ajudar trás grande publicidade. Pena é ser tão caro (um dia, quis comprar uma base...)

Enfim, uma semana depois considero que foi um evento bastante bom. Dizem que o espaço não estava adequado a tanta gente, mas porque é que tanta gente quer ir ver o Eurocosplay para depois reclamarem que eram só meia dúzia de pessoas? Somos sempre, já deviam estar à espera! Sorte a vossa que não foram naquele ano em que éramos só três! Também ouvi dizer que houve muita gente desagradada com a criançada aos gritos. Pessoalmente, já me habituei. Evento de cosplay equivale a adolescentes a gritar à desgarrada e a adultos que se comportam como adolescentes. Até considero saudável, somos todos pessoas que no dia a dia não podem estar no seu ambiente de trabalho a gritar "neko nyan nyan nyan" e que precisamos de libertar o nyan que há em nós em algum lado. Oh bem... Eu até posso dizer nyan no meu ambiente de trabalho, os meus clientes falam essa língua... Mas outras coisas como "JOJOOOO", precisamos todos de um lugar onde as dizer. Antes irritava-me, hoje em dia compreendo e estou em paz com o jojonyan que há em todos. O truque é estar em paz. Se estiverem em paz, encontram a paz em todo o lado. :)

E agora, até daqui a uns dias (ou semanas?), até aparecerem os vídeos que eu tanto quero! Até já!


2 comentários:

  1. Estou muito curiosa para ver esse skit. :P

    Podias partilhar alguns conhecimentos sobre esse workshop de argumento para BD? =')

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu depois mando-te um ficheiro por mail, pode ser? ;)

      Eliminar