4.1.13

Hellsing Ultimate

Hellsing Ultimate
Tokoro Tomokazu - Madhouse Studios
Anime OVA - 10 Episódios
2006-2012
9 em 10

Isto foi... Uma experiência. Uma experiência que durou seis anos. Bem, quatro no meu caso. Valeu a pena? Sim. Absolutamente. Agora resta-me ver tudo de seguida para saber se tem o mesmo efeito.

Isto é um remake de Hellsing, que agora segue o manga e tudo o que ele tem para oferecer. É uma coisa completamente diferente, não só mais uma aventura de vampiros. É uma aventura de vampiros de proporções astronómicas, com todo o sangue que isso implica.

A história é muito simples, apesar de ter algumas vertentes distintas que dão azo a uma grande variedade de personagens. O mundo está a ser invadido por vampiros nazis que andam a matar toda a gente e a única que pessoa que pode resolver a situação não é uma pessoa. É uma instituição, Hellsing, que por acaso é dona de um vampiro, Alucard. E aí entram as personagens. São todas sinceramente fascinantes. O autor apresenta-nos um conceito original de vampiro, um ser detentor de um poder acima das possibilidades de qualquer menina apaixonada. Isto motiva muitas situações de luta e guerra que roçam o genial, pois nunca há a certeza do que os personagens vão fazer. Integra Hellsing é (já era) uma das minhas personagens femininas preferidas. Cosplay na calha, avisa. É um personagem cheio de força, com uma moral desactualizada mas inabalável, detentora de uma coragem aprendida. Seras Victoria evolui de forma estonteante, sem nunca abandonar a sua personalidade inicial. E dentro dos inimigos, temos alguns bastante simples, outros extremamente complexos mas todos, TODOS, completamente passados da marmita. O chefão é um vilão genial, com um discurso coerente mas ainda assim louco, é perfeitamente realista dentro dos parâmetros de "nazi que tem vampiros nazis e um zepelim"

A animação é variada, mas no geral está extremamente (extremamente), extremamente, boa. Tem algum CG horroroso pelo meio, em cenas que poderiam ter sido fabulosas, mas é compensado por cenas de luta cheias de sangue e de membros cortados que não deixam de ser interessantes. O mais belo é a história por detrás de algumas das cenas, que dão uma intensidade muito própria e tornam toda esta glorificação da violência e da morte em algo significativo.

A música cria um grande ambiente, já que na sua maioria utilizaram música clássica e peças de ópera para ilustrar as situações (com alguma rockalhada pelo meio, isso não podia faltar). Por vezes trás beleza, na maioria das vezes torna tudo mais perturbador e emocionante.

A única coisa estranha eram os momentos de comédia, com versões chibizadas dos personagens e florzinhas, que não tinham absolutamente nada a ver com o teor de Hellsing. Mas estão feitas de tal forma que em vez de engraçadas se tornavam bizarras e penso que não deixa de ser uma boa adição ao ambiente fantasioso e improvável em que a série se passa.

Extremamente recomendado. Valeu a pena.

Sem comentários:

Enviar um comentário