7.5.12

Gantz

Gantz
Itano Ichiro - Gonzo
Anime - 13 Episódios + 13 Episódios
2004
6 em 10

Vou resumir este anime muito rapidamente: isto é sobre um pessoal que morre e vai parar a um quarto onde uma bola preta lhes dá armas e os manda matar aliens, depois morrem todos e há montanhas de sangue e de mamas e há fatos de latex.

E eu digo-vos: adorei. Manteve-me presa à ponta da cadeira do início ao fim.

Tinha em mente ver este anime porque uma vez me sugeriram que fizesse cosplay de Kei. De Kurono Kei, diga-se de passagem, não de Kishimoto (que não há apêndice mamário suficiente). Depois de ver o anime, até estou com bastante vontade de me meter em mais um projecto impossível. Porque realmente, Kurono é um personagem interessante. Com 26 episódios apenas, considerando que isto é um manga de longa duração, não sei exactamente o que pensar, mas em definitivo é um personagem com potencial. Este fulano apresenta-se um pouco como anti-herói. Ele tem uma vida de indiferença e a sua primeira acção é fomentada não por um desejo interior mas pela pressão que o rodeia. A partir daí passamos para uma movimentação baseada no instinto de sobrevivência e no desejo sexual que, quando satisfeito, evolui para a necessidade de se provar o melhor, como um manifesto de "eu consegui isto por isso vou conseguir matar estes aliens todos". As suas acções acabam por ter uma consequência fatal, o que o faz crescer mais uma vez. Mas será isto suficiente? O personagem tem mais espaço para evoluir, mas será que isso vai acontecer? Terei de me abster.

Os outros personagens, não nos é possível conhecer muito deles. Porque, infelizmente, morrem antes disso. Kishimoto e Kato têm alguma densidade e, sendo recorrentes, podemos identificar-nos um pouco com eles. Mas acho que a identificação corre melhor com os personagens aconteceu com aqueles sobre os quais nos deram poucos detalhes. Serve para definir a sua situação e a sua função no mundo e percebemos rapidamente o quão bárbaro é Gantz ao colocá-los neste jogo. Gostava de ter sabido mais sobre o cão.

A animação não é muito consistente, mas o design de personagens e de monstros é original. Mas há um defeito muito grande neste anime, que é o abuso (e quando digo abuso é quase um favor) de flashbacks. Flashbacks de coisas que aconteceram no início do episódio, flashbacks de episódios passados, flashbacks recorrentes da infância de Kurono e Kato, flashbacks por todo o lado. Nem que eu visse este anime de 15 em 15 dias! Não é preciso tanto flashback!

Amei a OP, andei sempre a ouvi-la. O resto da música trás mais acção às cenas, mas não comove quando há mortes.

De facto, a morte neste anime sofre uma certa dessensibilização. Como toda a gente morre, sejam bons, maus ou assim assim, e todos de maneiras horríveis, é quase indiferente. Nem cheguei a ter pesadelos.

Sem comentários:

Enviar um comentário