27.11.11

O Sonho do Celta

O Sonho do Celta
Mario Vargas Llosa
2010
Romance/Biografia

O terceiro livro do Vargalhosa que leio. E é completamente diferente dos outros dois. Adorei.

Para começar, é diferente porque é uma biografia romanceada da Roger Casement, um cônsul britânico no Congo, um humanista e um lutador pela independência da Irlanda, que veio a ser condenado por traição e morto no patíbulo. Como é uma biografia, está escrito de maneira "normal". Mais uma vez vemos que Llosa tem uma tendência para organizar as suas obras ao longo dos capítulos. Aqui temos capítulos sobre as aventuras de Casement no Congo e na Amazónia Peruana intercalados com capítulos em que o homem faz uma contemplação sobre as suas acções enquanto aguarda a decisão do tribunal sobre a sua morte, isolado numa cela na prisão.

Está muitíssimo bem escrito, com uma riqueza de imagens dificilmente ultrapassável. As descrições das acções passadas contra congoleses e índios amazónicos são de uma vivacidade incrível e são impressionantes. As cenas sexuais, reais ou imaginadas, do homossexual Roger Casement, têm uma sensualidade imensa, mas não amorosa. Selvagem e furiosa, inadmissível mas, ainda assim, bela.

E o personagem, que existiu, passa a existir de novo, renovado e muito completo. Absolutamente real. É impossível que metade destas coisas não tenham sido inventadas, porque é impossível haver documentação que relate os mais ínfimos detalhes desta vida. Vargalhosa atinge um detalhe no personagem incomparável. Creio que se Roger Casement lesse este livro ficaria espantado e envergonhado ao mesmo tempo por terem descoberto os seus segredos mais íntimos (ou inventado-os, quem sabe...)

Uma linda homenagem a um  homem que poderia ter sido esquecido com facilidade, e que quase o foi pela ignorância que sofreu pelas gerações posteriores, que custaram a admitir que um homoxílio badalhoco tivesse feito tanto pelos direitos humanos e pela independência da Irlanda. Muito recomendado.

Sem comentários:

Enviar um comentário