12.6.14

Panty and Stocking with Garterbelt

Panty and Stocking with Garterbelt
 Imaishi Hiroyuki - Gainax
Anime - 13 Episódios
2010
5 em 10

Eu sabia. Eu sabia que não ia gostar. Eu sabia que ia abominar. Então, porque é que eu vi? Porque é que eu me submeti a esta actividade masoquista de ver uma coisa que eu sabia que ia detestar? Pela mesma razão pela qual vejo e leio todas as coisas. Para saber.

Existe uma razão muito simples pela qual eu, necessariamente, achei este anime uma abominação. Eu detesto, odeio com todas as minhas forças, todo o tipo de piada sexual, escatológica ou coisas do género que possa existir. Logo, todas as piadas, todas elas, ao longo deste anime... Não têm piada. E como avaliar um anime de comédia em que não achamos piada a nada? É um desafio, sim. Mas existem pontos em que eu posso criticar: a comédia é demasiado fácil, demasiado óbvia. Li algumas reviews que diziam "é sofisticada". Ora então, seu eu disser "este desenho animado é mau como a merda, caralho" e depois me peidar, isto tem piada? É sofisticado?

Da mesma forma diziam que PSG servia como uma crítica à indústria do anime tal como ela é. Acho isto uma consideração estupidamente errónea. À primeira vista, podemos penar que isto é um cartoon americano. Estilo Cartoon Network (que, por sinal, sempre detestei também). Mas se observarmos a arte com atenção, a cor, a proporção, tudo isso é tipicamente anime, tipicamente Japonês. Dou a mão à palmatória: a arte é muito boa, com momentos muito experimentais que são o maior ponto de interesse ao longo desta viagem de horrores. O mesmo se passa em termos de animação. Mas isto acontece porque é um anime e tem todos os elementos de anime. Não se enganem pelo estilo. Nem sempre precisamos de pernas compridas e pestanas brilhantes para ter uma estética típica.

O problema aqui está precisamente na concepção de que PSG tenta ir para além dos limites impostos pelo género. Não vai. Nunca poderia ir, porque todos os elementos são muito próprios. As próprias personagens, são a caricatura de coisas que a cultura Japonesa rejeita (nomeadamente, a sexualidade feminina). A única forma de tornar este anime mais americano, mais diferente, é ter merda, canzana e esperma espalhados por aí. E isso não torna uma animação única: torna-a vulgar.

(Diga-se de passagem que desgosto de quase todos os desenhos animados americanos, do Cow and Chicken ao Family Guy.)

Musicalmente, passa-se a mesma coisa. A maneira de ser mais ocidentais será convertermo-nos à geração autotune e ilustrar o anime com um pop repetitivo e pouco inspirado?

Enfim, é difícil expressar o quanto este anime superou as minhas expectativas. Eu sabia que me ia sentir horrorizada ao longo de todos os episódios. Mas não sabia que ia encontrar razões tão óbvias para isso. :)

Sem comentários:

Enviar um comentário