2.4.13

Mahou Tsukai ni Taisetsu na Koto: Natsu no Sora

Mahou Tsukai ni Taisetsu na Koto: Natsu no Sora
Kobayashi Osamu - Geneon Universal Entertainment
Anime - 12 Episódios
2008
7 em 10

Eis um anime que nos apresenta uma perspectiva diferente dentro de um universo normal. No mundo de Natsu no Sora a magia é real. Tão real que está instutionalizada. É rara, pois é hereditária, mas quem tem os poderes tem um curso intensivo e passa a pertencer a uma sede de magia, onde só pode fazer actos mágicos a pedido e com autorização. Sora é uma aprendiz de magia que vem de Hokkaido para Tóquio para aprender. E este anime é sobre esse mês que ela lá passa.

A história e o desenvolvimento dos personagens são realistas e simples, tal como o são as coisas reais. As pequenas aventuras do dia-a-dia destes aprendizes têm apenas a emoção mais essencial e não há grandes tragédias nem desesperos. Estamos a ver a vida a passar e nada mais.

É a forma que mostram essa vida que realmente distingue este anime dos seus pares. Os fundos são fotografias com uma camada digital por cima, de um hiperrrealismo estonteante. Assim, é-nos dada a ver uma perspectiva diferente da cidade de Tóquio, bairros dos quais normalmente não ouvimos falar, de uma forma quase intimista, como um local a mostrar-nos os seus sítios preferidos. Também nos são mostradas as longas paisagens de Hokkaido, no curto Verão que raramente vemos, como turistas acidentais. É um profundo contraste com os designs das personagens, que são por demais simplificados, com ênfase nas expressões faciais e no diálogo. Muitas vezes o diálogo está fora do cenário, pelo que nos podemos concentrar na sua beleza sem nos perturbarmos com estes bonecos feitos em formas geométricas.

Para temperar esta viagem temos uma banda sonora límpida e simples, que nos transporta. É caracterizada no anime como "British New Wave Electronic", mas - acho eu - não tem muito que ver com isso. No entanto, é muito boa. Tão boa que a recomendei.

Tem as suas falhas, mas é um anime que recomendo pela sua beleza intrínseca e simplicidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário