5.3.13

Minami-Ke

Minami-Ke
Oota Masahiku - Daume
Anime - 13 Episódios
2007
6 em 10

É interessante observar como a minha nova Plan to Watch (Planeio Ver), de animes escolhidos sem critério das recomendações de gente que supostamente sabe o que está a dizer, está recheada de anime fatia-de-vida. Que é um género que me cansa cada vez mais, todos os dias. Mas este... Não está mal.

Minami-ke é um anime sobre a vida, em casa e na escola, das três irmãs Minami, Haruka, Kana e Chiaki (por ordem decrescente). Não é um anime para ser levado muito a sério. E eles admitem isso logo desde o primeiro momento:


Ora, a vida de adolescentes, pré-adolescentes e crianças, no Japão e em qualquer lugar do mundo, não é particularmente excitante ou fascinante. Por isso, o que é mais válido num anime fatia-de-vida são as personagens e as suas interacções. Minami-ke, por estranho que pareça, consegue manter um nível bastante bom no que lhes diz respeito. Haruka, a mais velha, é caracterizada como boazinha, talentosa (na perspectiva das irmãs mais novas), bonita e tudo o mais, uma verdadeira perfeição. Quando confrotada com outros personagens, nomeadamente o jovem que está apaixonado por ela (e que foi quem mais me fez rir durante toda a série. Não ri muito, confesso), não demonstra grande personalidade, excepto para responder aos gags de comédia. Kana, a do meio, coitadinha, é meio atrasadinha. Faz sempre tudo errado e é do facto de ser desastrada que advém, ou deveria advir, grande parte da comédia deste anime. Mas eu sou incapaz de me rir com pessoal a cair. Por isso ela apenas me irritou. Finalmente, Chiaki, a mais nova, é possivelmente a mais interessante do conjunto. Está sempre a chamar toda a gente de bakayaro (sp? O meu japonês fica pior de dia para dia... E pensar que eu conseguia manter uma conversa sobre animais com uma criança de três anos!) e aparenta ter grande maturidade para a idade, dado que todas as coisas a chateiam. No entanto há momentos em que se revela a sua infantilidade, como a aventura da pedra Yamada. E tem uma cornucópia na cabeça. As personagens por si só não são grande especialidade, como se pode ver nesta pequena análise. Mas a relação entre elas, enquanto irmãs, torna-se bastante especial. O fascínio de Chiaki por Haruka, o fascínio de Kana por Chiaki e as suas respostas às situações revelam que são uma família unida e que se ama. Apesar de não terem pais (fiquei para saber onde arranjam o dinheiro para comer e para pagar a conta da luz, mas diz que explicam na terceira season).

Em termos artísticos, não temos nada de especial. Em absoluto. Os designs são muito simples, apesar de funcionarem como "a(s) rapariga(s) da porta ao lado". Podiam ser qualquer pessoa e com os seus designs podemos identificar as suas aventuras de todos os dias com as nossas. Detestei as boquinhas de gato, constantes e que nunca desaparecem.

No sonoro, há uma caracterização forte da série como "situação que na verdade é normal e não interessa muito, passem à frente". O que é bom, porque era esse o objectivo inicial, não era? As vozes não me pareceram nada adequadas, sobretudo a de Chiaki, muito nasalada.

Enfim, um anime agradável, não mata de riso mas também não é muito chato. Não estejam à espera que eu vá ver as próximas três temporadas. Pelo menos em breve.

Sem comentários:

Enviar um comentário