7.2.13

Memórias de um Vampiro

Trilogia Nocturnus - Memórias de um Vampiro
Rafael Loureiro
2007
Fantasia

Mais um dos livros que ganhei no concurso da Nanothron. Mas, para variar... Este é giro! Bem giro!

Conta a história de um vampiro e das guerras internas no mundo paralelo à sociedade em que vivem os vampiros. Estes vampiros e suas lendas estão compostos sobre um belo imaginário que os torna em seres tão humanos como nós, amaldiçoados mas ainda assim pessoas.

Está muito bem escrito. Tem momentos de um liricismo gótico mpecável e por vezes as projecções do narrador, personagem principal, têm uma tonalidade muito poética que torna a narrativa muito bela. É uma narrativa comum, limpa e sem truques de estilo, mas que funciona muito bem devido à sensibilidade do personagem.

As cenas de acção são fáceis (tenho alguma dificuldade com cenas de acção, porque me confundo a nível cerebral), mas por vezes a resolução dos problemas peca por ser demasiado simples.

Tem alguns erros ortográficos graves (à em vez de há, por exemplo), mas estes poderiam facilmente ser retirados com a passagem da obra por um bom editor. Sim, meus senhores, porque isto é uma edição de autor. É um mistério que me transcende isto de um livro tão interessante e bem escrito ser uma edição de autor e outros muito piores terem o seu próprio editor.

Ainda assim recomendado, vou oferecê-lo a uma amiga que gosta destas coisas. :3

Ah, e tem um site. Vejam-no! São três volumes, comecei já a ler o segundo, que também ganhei (por razões que envolvem, puramente, a espessura e o espaço dentro da mala) mas irei comprar o terceiro assim que o descobrir!

Edit: Descobri que o livro, entretanto, foi editado pela Editorial Presença. Tem uma capa menos gira, mas viva!

2 comentários:

  1. Gosto bastante do teu blog e dos comentários que fazes aos mangas/animes/livros costumo lê-los a todos. Vinha perguntar-te se já lês-te Siddhartha. Gostava de saber a tua opinião sobre ele :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Já li, mas foi há muitos anos, numa altura em que eu não tinha claramente idade para perceber o livro. Por isso não o percebi e detestei-o... Mas vale sempre a pena ler um clássico!

      Eliminar