19.6.12

Saber Estar

Saber Estar
Vicky Fernandes
Manual
2008

Pus-me a ler este livro só pela graça. Livros de etiqueta são sempre muito engraçados. A autora, Vicky Fernandes, nem faço ideia de quem é nem tenho nenhuma ambição em sabê-lo. Aparentemente é senhora do dia em revistas cor-de-rosa, material que, por alguma razão, não tenho qualquer gosto em ler.

Estava à espera de uma lista de ordens de etiqueta, mas na realidade apareceu-me um livro bastante divertido, apesar do tom de narizinho empinado que por vezes transparece, com informações bastante úteis. Apesar de eu não as poder aplicar frequentemente, pela ausência de festas de alto gabarito. Não é que eu não seja convidada, a realidade é que não há muitas.

Infelizmente o livro está concebido pela cabeça desta senhora, que deve ter posses consideráveis. Assim quando ela faz sugestões sobre o jantar inclui as fardas dos criados, que não temos, os talheres de ostras, que não comemos em casa, e sugere mesmo instalar um buffet na sala de jantar, que não tem espaço. Da mesma forma a roupa que é sugerida (note-se que as sugestões apostam na criatividade do leitor e não são em nada castradoras) não tem em conta as pessoas que se vestem de maneira anormal, como eu, ou apologistas de moda alternativa. Pensei mesmo em enviar-lhe um mail a comentar isto.

De resto, estão neste livro bons conselhos em relação a estilo, convivência e boa educação no geral. Pessoalmente, eu considero-me bem educada pelos meus pais, apesar do abuso de palavrões que sai da minha boca (mas sempre em situações apropriadas. Ca......) mas há muitas pessoas que não sabem que não é suposto ir de branco a um casamento, nem de preto, nem contar piadas num funeral.

O glossário no final também é muito interessante para um pequeno resumo da história da moda.

Apesar do abuso de palavras como "intemporal" e "básico", gostei bastante. E fiquei com vontade de organizar uma festa toda chique, para poder voltar a usar o meu vestido de baile!
 

Sem comentários:

Enviar um comentário