29.2.12

A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo




A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo
Stieg Larsson
2006
Policial

Eu sei que li outro livro entre o primeiro e o segundo Millenium, mas já não me lembro qual foi. Assim, fica aqui a review deste, desde já!

Se o primeiro Millenium foi um policial altamente complexo com requintes de malvadez, este livro é sobre espiões. Começamos com Lisbeth Salander a fazer férias tropicais e a enfrentar tempestades e acabamos com uma perseguição policial a escalas desproporcionais. Os primeiros capítulos caem bem, mas não têm continuação. Quiçá seriam o mote para um quarto ou quinto livro, mas eles nunca vão existir - pelo menos sob a alçada de Larsson - por isso ficam com sabor a assunto pendente. O que é um pouco desagradável.

Neste livro são-nos introduzidas duas novas perspectivas. Não é só Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander e a Millenium. São também a polícia dos bons e a polícia dos maus. E a polícia dos que não são bons nem maus. Uma série de novos personagens aparece e cada um deles é único. Nisto a saga Millenium continua perfeita. Tudo está feito de forma extremamente detalhada, mas sem aborrecer e sem abusar. Dão-nos todas as informações essenciais para formar a imagem perfeita, mas não dão informações a mais que acabam por tirar as atenções do mais importante.

Não sei se me agradou muito a história dos espiões, mas é sempre bom conhecer um bocadinho mais de Lisbeth Salander. De certa forma, ela evoluiu como personagem entre o primeiro e o segundo volumes, tornando-se um pouco mais próxima dos outros e manifestando por eles sentimentos que não raiva.

Cenas de acção suculentas, sobretudo a luta final contra o grande nemesis dos espiões russos, com uma pitada de crítica à sociedade "perfeita" que é a Suécia.

O primeiro continua a ser o meu preferido, mas este também é muito bom. É muito diferente, mas escrito com igual talento.

Sem comentários:

Enviar um comentário