8.11.16

Black Mirror Season 3

Black Mirror Season 3
Charlie Brooker
Série - 6 Episódios
2016

Foi com grande alegria que descobrimos que a série Black Mirror havia sido comprada pelo Netflix, o que significa que temos mais episódios, com maior valor de produção, novas ideias e, sobretudo, muitas novas pessoas a acompanhar uma das coisas mais brilhantes que apareceu por aí nos últimos tempos.

Como anteriormente (cliquem no link acima), temos um conjunto de episódios que nos mostram uma diferente perspectiva da utilização das novas tecnologias, sendo que tudo é um pouco - bastante - pessimista. São conceitos impressionantes na medida em que a qualquer momento se podem tornar reais. Tudo o que pode correr mal, irá sempre correr mal, já dizia o outro. Portanto, vejamos o que acontece em cada episódio.

Nosedive - Numa guerra por quem tem mais likes, todas as pessoas são classificadas numa escala de 0 a 5 pela sua interacção social, através dos seus smartphones. Quanto maior for a classificação, mais privilégios temos nesta sociedade. Uma rapariga precisa de mudar de casa e está ansiosa por ter uma classificação superior a 4.5 para que possa ir para o melhor sítio de sempre e conviver com as pessoas mais populares. No entanto, tudo acaba por correr mal quando ela se descontrola e começa a receber más classificações de todos os que a rodeiam. Neste episódio, o trabalho da actriz é simplesmente fabuloso, sendo que a resolução do conflito acaba numa nota bastante positiva relativamente ao contexto.

Playtest - Um americano foge de casa para ver o mundo e, essencialmente, fugir da mãe. Quando se vê perdido em Inglaterra sem dinheiro, aceita um trabalho que consiste em testar um jogo de terror. Este jogo irá ler o seu cérebro e assustá-lo com as coisas que mais o aterrorizam. Este foi o episódio que me assustou mais e me deu mais pesadelos, porque eu iria morrer num instante se jogasse este jogo. A ideia de que pode existir algo que nos assuste com as coisas que mais medo nos dão é algo que me aterroriza um pouco.

Shut Up and Dance - Um rapaz ainda não aprendeu que não se deve fazer nada na internet que nos envergonhe na vida real e sofre as devidas consequências, quando é perseguido e obrigado a fazer uma série de coisas maléficas por "alguém" que lhe manda mensagens. Parece-me que isto é uma crítica aos anónimos originais e ao que eles podem fazer. O twist do final é brilhante. Este episódio recordou-me um pouco o "The National Anthem" da primeira season.

San Junipero - Este episódio é muito mais complexo do que aparenta à primeira vista. É uma história de amor, que acaba de forma bastante positiva, mas cujo conceito é mais assustador do que podemos pensar. Não posso explicar muito mais sem fazer o spoiler, mas digamos que é amor feminino nos anos 80.

Men Against Fight - Um grupo de soldados deve lutar contra monstros horríveis a que se chamam "baratas". Até estas aparecerem eu estava num pânico completo, com medo que fossem mesmo esses bichos. Mas eram apenas monstros. É um episódio que fala um pouco da lavagem cerebral dada às forças armadas para que matem indiscriminadamente, mesmo que as vítimas não sejam tão culpadas como aparentam. O final pode ser um pouco confuso.

Hated in Nation - Um episódio um pouco mais longo, com uma veia de policial. Duas polícias investigam crimes de homicídios realizados a pessoas que receberam ódio na internet nos últimos dias. Vêm a descobrir que qualquer pessoa que seja vítima de uma hashtag de ódio bem específica pode ser uma vítima. Para mim, a melhor parte deste episódio são as personagens. As duas estão muito bem caracterizadas e têm uma personalidade extremamente definida, sendo que são absolutamente realistas dentro do contexto. A ideia das abelhas também me surpreendeu e parece perfeitamente possível de acontecer brevemente. O twist final é aterrorizante, mas também não me senti muito afectada por ele (são coisas que não faria).

Enfim, mais uma season fabulosa que deixa vontade de ver cada vez mais. Será que teremos uma quarta oportunidade? Esta season foi um pouco mais assustadora que as outras, para mim, sendo que as ideias talvez tenham sido um pouco menos fortes. Mas no conjunto, tudo funciona muito bem.

Está tudo bem e recomenda-se :)

Sem comentários:

Enviar um comentário