6.1.17

O Abraço da Serpente

O Abraço da Serpente
Ciro Guerra
2015
Filme
7 em 10

Confesso que mais para o final do filme já não estava muito atenta, pelo que digo desde já que merece ser revisto.

Um filme complexo e hipnotizante, tal qual uma serpente, que fala sobre a influência dos exploradores Europeus no universo indígena da Amazónia. Um explorador procura uma planta medicinal que poderá curar a sua trágica doença, pedindo para isso ajuda a um índio que muito sabe sobre esse tema. Quarenta anos mais tarde, um Americano encontra o mesmo índio, agora muito mais velho, para que lhe mostre essa planta e esta possa ser estudada pelos métodos "civilizados". 

Explora-se aqui muito sobre a identidade cultural dos vários povos, dos aspectos que os ligam mas, sobretudo, dos aspectos que os separam. Tendo muitos momentos altamente violentos, não tanto pelo seu grafismo mas pelos conceitos que exploram, o filme segue uma viagem em tudo semelhante a um "Apocalypse Now", em que os indígenas procuram manter os seus segredos mas, a pouco e pouco, abrem o seu coração para a presença do "homem branco" que, como sempre, destrói tudo aquilo em que toca.

O filme é a preto e branco e, devo dizer-vos, utiliza esta técnica com uma mestria que há muito não via. As imagens são altamente vívidas, sendo que cada planta, cada folha, cada gota de água tem tanto dentro dela que quase podemos sentir o seu cheiro, os seus ruídos, a sua força primal.

As interpretações também estão fascinantes, sobretudo a do(s) xamã índio, uma personagem que evolui no decurso da narrativa de forma quase inesperada.

Sei que este filme foi enviado para nomeação para os óscares, de melhor filme estrangeiro, esperemos que consiga!


Sem comentários:

Enviar um comentário