21.12.14

Sword Art Online II

Sword Art Online II
Itou Tomohiko - Aniplex
Anime - 24 Episódios + 1 Special
2014
6 em 10

Para verem sobre a primeira season, aqui está. ;)

Um ano depois de quase morrerem à conta de um jogo parvo, os nossos heróis preferidos continuam a jogar estes jogos. Seria de esperar que tivessem desistido, mas pelos vistos o vício é mais forte. Esta season está dividida em três arcos, pelo que falarei deles separadamente. 

No início, é-nos apresentado um jogo muito diferente do Sword Art Online original. É um jogo de armas, ao estilo first-person-shooter, em que as pessoas têm de eliminar os seus oponentes e tudo o mais. É pedido a Kirito que investigue algumas mortes misteriosas de jogadores, sob o receio de ser outra vez o psicopata do SAO. Nesse jogo, Kirito faz amizade com Sinon, uma rapariga com alguns problemas. Juntos, resolvem o caso. Nesta primeira parte, achei que o anime tinha dado uma volta de 180º para melhor. A verdade é que achei o drama de Sinon muito real e humano, sendo que toda esta parte da história teve uma certa dose de realismo que por vezes faz falta. Foi sem dúvida emocionante.

Seria bom se tudo se mantivesse assim. Mas não. Infelizmente, todas estas pessoas continuam a jogar aquele jogo das fadinhas. Na segunda parte, contam-nos como obtêm uma espada dourada e um martelo. Muitas cenas de acção.

Finalmente, é a parte protagonizada por um dos personagens menos interessantes de que há memória: Asuna. Esta Asuna conhece uma rapariga, que se vem a descobrir depois que está a morrer com sida. Ora, para começar não se morre com sida. A sida é um síndrome de imuno-deficiência: essencialmente o vírus pega-se às nossas células brancas e impede que elas funcionem, matando-as no processo. Assim, o nosso organismo fica sem defesas para as coisas mais simples. Por isso, quem tem sida normalmente morre com constipações ou algo que normalmente se curaria com um ben-u-ron. Para terminar, considerando que já fazem jogos de imersão total nesta fase da história da humanidade, seria de esperar que já se tivesse encontrado a cura para esta doença. Até hoje em dia, é uma doença perfeitamente controlável, com um coquetel de medicamentos todos os dias. Portanto, nada disto faz sentido. Para mais, a relação entre as personagens é tão inócua (somos amigas para sempre porque derrotámos um monstro) que tudo acaba por perder a seriedade. Acrescente-se o drama adolescente de Asuna, em que a mãe dela não quer que ela jogue o jogo, e temos a receita para um falhanço. Até se poderia ter analisado esta parte melhor, o facto de muitos jovens estarem viciados em jogos inúteis pelo simples factor social, esquecendo-se de coisas importantes como a escola e as pessoas. Mas não, não foi sobre isso que falaram.

A animação, no entanto, é muito moderna e bastante boa. É muito colorida e todas as cenas de acções têm fluidez, pelo que são muito fáceis e agradáveis de seguir. Junte-se a isso um design de personagens simpático e é muito fácil para este anime colar-nos ao ecrã.

Na música, temos pouco a acrescentar. No parênquima nada faz. A variedade de OPs e EDs não contribui em nada. 

Temos uma segunda season mais ao menos ao nível da anterior. Entretém bastante, o que é uma coisa importante e muito boa, mas de resto será facilmente esquecida.

Sem comentários:

Enviar um comentário