27.12.14

Filomena

Filomena
Stephen Frears
Filme
2014
7 em 10

Visto depois do jantar.

Este é realmente um filme interessante. Baseado numa história real, conta a história de uma mulher que há cinquenta anos entrou grávida num convento. Depois, no convento, o seu filho foi adoptado. Agora, tanto tempo depois, alia-se a um jornalista para tentar encontrar a criança perdida, que agora já estará na meia idade. Será que vão conseguir.

Para além do impressionante facto desta história ter realmente acontecido, demonstrando assim a crueldade de algumas pessoas, o ponto máximo de interesse deste filme será a relação entre os dois actores e respectivas personagens. O jornalista é um homem que procura um novo rumo para a vida e que tem um sentido de humor muito próprio e por vezes incompreendido. Filomena é uma velhota irlandesa de ideias simples, que se maravilha com as coisas bonitas da vida e irradia simpatia. São os diálogos entre os dois, a incompreensão inicial e a evolução para uma amizade singela e pura, que tornam o filme absolutamente delicioso.

Isto não seria possível sem um grande trabalho de actor. Ela, especialmente, consegue viajar entre o sentimento de amor pela vida e a melancolia do filho lhe ter sido tirado e de não o poder encontrar. Faz isto com mestria e rapidez, dando-nos momentos muito sérios e emocionantes tanto quanto nos faz rir com a sua alegria.

A inserção de flashbacks e a base fotográfica do registo do filho tornam tudo um pouco mais melancólico, sendo que as imagens do convento estão muito bem caracterizadas, trazendo-nos um certo horror pelo ambiente. Também há uma grande qualidade nos diálogos, sendo que muitas vezes são debatidos conceitos como o significado do pecado e a existência de deus. Como são falados por pessoas com opiniões diametralmente opostas, permite-nos pensar um pouco sobre isso.

Um excelente filme.

Sem comentários:

Enviar um comentário