27.12.14

Slayers

Slayers
Watanabe Takashi - SoftX
Anime - 26 Episódios
1995
5 em 10

Aparentemente, esta série deu na televisão. Ora, eu não me recordo nada de ter visto isto. Portanto, tenho uma vantagem em relação ao resto do mundo: óculos de nostalgia? Não tenho. Vejo simplesmente o que está à minha frente, sem boas memórias a dizer-me que bom que foi. Porque bom, olhando para a coisa com um mínimo de objectividade, bom não é.

Lina Inverse é uma feiticeira que anda por aí a roubar coisas. Até que um dia rouba a coisa errada e, a partir daí, anda a fugir e perseguir (ao mesmo tempo) uma entidade maléfica que tenciona invocar outra entidade maléfica. Assim, temos uma série de episódios em que não se passa grande coisa, para depois seguirmos para uma conclusão mais ou menos lógica. É um anime que tem um arco narrativo geral, interrompido por uma série de episódios individualistas que relatam as aventuras de Lina Inverse e os seus novos amigos. Estes episódios ajudam-nos a compreender o funcionamento deste universo fantástico, que está bastante bem construído e é acreditável. Na verdade, é um mundo muito divertido onde todos podem viver felizes. Não me importaria de lá viver!

O ponto forte da série são as personagens, que formam um conjunto muito divertido e único. De amigos a inimigos, temos uma grande variedade de pessoas que passam no caminho de Lina Inverse e sua pandilha, que vai gradualmente aumentando de tamanho. As vozes estão muito bem aplicadas e estes personagens, apesar de não sofrerem qualquer tipo de desenvolvimento, são bastante agradáveis. Infelizmente, a comédia sofreu com a passagem do tempo e estabelece-se como desactualizada e antiquada. Na verdade, transmite-nos todos os clichés cómicos que existem em animes do género e creio que a série teria sido muito melhor se tivesse pelo menos alguns momentos mais sérios.

Outra coisa que sofreu com o tempo foi a animação. Na época já não era muito boa, com uso de muitas imagens repetidas, designs inconsistentes nas personagens e demasiados elementos caricaturais. Mas hoje em dia, é apenas triste. Se este tipo de animação podia ser aceitável na altura, agora que olhamos para trás é demasiado fácil ver onde estão todos os erros. Existem muitas cenas de acção com magias brilhantes, mas nem isso compensa.

Musicalmente, temos OP e ED bastante boas, modernas para a época e que caracterizam bem a série. No parênquima, há um certo desejo de aventura que fica bem claro quando aliado às cenas de acção.

Talvez esta série fosse um epítomo da fantasia há vinte anos atrás. Hoje em dia, não recomendaria.

1 comentário: