16.10.15

Hayate no Gotoku!

Hayate no Gotoku!
Kawaguchi Keiichirou - TV Tokyo
Anime - 52 Episódios
2007
4 em 10

Quando penso que já não é possível odiar tanto uma série, aparece mais uma para me surpreender! Fantástico! Hayate no Gotoky!, ou "Hayate The Combat Butler" é possivelmente a comédia menos bem conseguida do último milénio.

Mas permitiu-me compreender uma coisa: parece-me que, em anime, uma comédia se baseia sempre na paródia. A paródia de alguma coisa, seja música ou filmes, a paródia das situações entre os personagens, a paródia de lugares comuns. No caso deste anime fazem-no através de referências a outros animes. E isto é, possivelmente, a coisa com menos piada que poderiam fazer. Porque as referências aos outros animes são tão básicas, tão acessíveis, tão simples, que qualquer pessoa que tenha olhado para a televisão nos anos 90 as consegue perceber. E isso não tem piada. Porque não se refere a um nicho e as referências para serem bem usadas têm de pertencer a um nicho, isto é, a um grupo específico de pessoas a quem são dirigidas. Este anime tenta agradar a todos e acaba por não me agradar a mim.

De resto, não existe uma linha narrativa condutora digna desse nome. Não existe uma história, não existe uma evolução. Só existem gags seguidos de gags, que têm a esperança de provocar gargalhadas seguidas de gargalhadas mas que, para mim, só me fazem levar as mãos à cabeça e pedir que acabe depressa. Mas não acaba, porque são 52 episódios de piadas tão secas como um pão cheio de bolor.

As personagens são uma espécie de subversão do estereótipo de anime. Isto, em si, é mais uma paródia mal conseguida. Porque os personagens parecem existir em função da piada (que não existe) e não sofrem qualquer tipo de desenvolvimento, evolução ou mesmo caracterização. São completamente desprovidas de personalidade e tudo o que que conseguiram foi irritar-me profundamente e desejar que morressem todas de forma altamente violenta. Se este anime fosse guro, teria tudo corrido melhor.

A arte é menos infeliz do que poderia parecer à primeira vista. Podemos admitir que algumas cenas estão capazmente animadas e que os designs dos personagens são originais e distinguíveis (na medida do possível). Os cenários, esses, são completamente inexistentes. É um anime sem qualquer tipo de beleza ou conteúdo artístico, apoiando-se numa simplicidade que poderia ter funcionado caso os personagens existissem de todo.

A música foi a parte que mais me perturbou. É possível haver música tão surpreendentemente má como a deste anime? As OPs e EDs são exasperantes, causam falta de ar, são um happy-pop pastilhado que nem sequer dá vontade de mexer, apenas vontade de nos enrolar num canto e morrer. E quanto às músicas do parênquima... Onde é que eu já ouvi isto? Que tal em... Todos os animes de comédia das últimas duas décadas? Músicas repetitivas, pouco originais e totalmente recicladas. Ouvimos estes temas no Doraemon, pelo amor de deus...

Enfim, um anime terrível que não recomendo a ninguém. Sei que tem uma legião de fãs, mas não me interessa, odiei isto com todas as minhas forças e ninguém me pode negar esse direito!

Sem comentários:

Enviar um comentário