4.10.15

Matadouro 5

Matadouro 5
Kurt Vonnegut
1969
Romance

Este é mais um livro sobre a guerra, nomeadamente a Segunda Guerra Mundial. Um narrador intrometido esforça-se por contar a história de Billy Pilgrim, um optometrista inadapatado que esteve no Bombardeamento de Dresden, evento histórico mórbido e elevadamente fatal.

É uma narrativa cadente, sempre pontuada pela frase chave: "Coisas da Vida". Cada vez que algo de terrível acontece, ou mesmo algo bom, são coisas da vida. Assim, temos um ritmo bastante agradável, um embalar dentro da história, que torna os horrores vividos na guerra como algo secundário e até mesmo pouco importante, como se tudo o que se passou tinha sido uma necessidade do acaso ou do destino. Na verdade, o livro pula entre vários momentos da vida do personagem principal, pois ele ganha a capacidade de viajar no espaço-tempo devido à amizade feita com uma tribo de alienígenas, os tralfamadorianos. Estranho, não é?

Eu interpreto toda esta vertente de ficção científica não como realidade mas como uma interpretação do stress pós-traumático (PTSD- post traumatic stress disorder). Billy Pilgrim ficou tão perturbado com o que viu na guerra que provoca em si próprio uma imersão num mundo fantástico onde tudo são apenas "coisas da vida" e onde pode encontrar algum conforto e afastamento da realidade, onde o consideram louco e onde não tem qualquer sucesso e tudo lhe corre mal.

Quanto às imagens horrendas, não há muitas, propriamente ditas. O livro é mais uma sucessão, com muita ironia e bom-humor, das coisas pouco lógicas que aconteceram com estes prisioneiros de guerra americanos. Isto é, são descritas coisas feias, mas na perspectiva tanto do narrador como do personagem, elas servem apenas como mote para ilustrar a falta de lógica destes combates.

Um livro curto, que se lê bem e é divertido.

Sem comentários:

Enviar um comentário