19.10.15

Kaibutsu Oujo

Kaibutsu Oujo
Sakoi Masayuki - Madhouse Studios
Anime - 25 Episódios + 1 OVA
2007
5 em 10

É claro que depois de um anime surpreendentemente bom, aparece um anime surpreendentemente mau. Mesmo estúdios exemplares como a Madhouse, cometem erros às vezes.

Um jovem morre depois de apanhar com umas vigas de metal em cima. Quando se vê acordado na morgue, descobre que foi ressuscitado como forma de semi-vida por uma poderosa princesa vampírica. Agora a sua tarefa é protegê-la, mas como ele é muito fracote quem acaba por o salvar são sempre as outras personagens. Enfim, tem de a proteger contra uma série de bizarros inimigos, de lobisomens a bolos saltitantes, pois neste mundo de vampiros todos querem matar para não morrer.

A narrativa é episódica de natureza e todos os episódios temos um novo oponente que é vencido no meio de muitas situações que deveriam, em princípio, ser engraçadas. Mas que, na verdade, não são muito. Limitam-se a quedas espalhafatosas e o ridicularizar de cada uma das meninas deste prolongado harem. Um dos pontos narrativos essenciais está na explicação do facto destes vampiros se matarem uns aos outros. No entanto, a explicação não dá sentido a este elemento, o que faz com que toda a motivação do anime seja, no fundo, inconsequente.

Se ao menos tivéssemos boas personagens... Infelizmente, apesar de serem muitas, nenhuma delas tem uma caracterização forte, estando muito limitadas à qualidade do diálogo que é... Nenhuma. Apesar de estarem descaracterizadas, poderíamos salvar o anime se tivessem algum tipo de desenvolvimento. Mas não. O nosso rapaz principal é um miserável que não tem ponta por onde se lhe pegue e as raparigas, todas e sem excepção, são estereotipadas a um nível de recorte da caixa de cereais.

Também não posso dizer que a animação seja um exemplo como este estúdio nos tem habituado tão bem. Tem falhas em todos os aspectos, desde o design das personagens, simplificado e desinspirado, até às sequências de animação em si, que não têm fluidez nem a intensidade necessária para captar a atenção do visionante. Cenários, esses, nem sei se vale a pena falar. Há tentativas de detalhe, que saem frustradas, acabando os cenários por serem conjuntos de cores sem qualquer significado ou relevância narrativa.

Talvez a única parte que salva este anime seja a música. Com Ali Project na ED (o que é sempre bom), todas as músicas transmitem uma certa aura mística e classicista que ilustra bem o ambiente que era pretendido para este anime. No entanto, todos os outros elementos incapacitam-nos de o apreciar devidamente.

Um anime para esquecer.

Nota: informo que a partir de hoje estou em fase de ensaios para o Eurocosplay. :)



Sem comentários:

Enviar um comentário