27.10.15

Aoi Bungaku

Aoi Bungaku
Araki Tetsurou - Madhouse Studios
Anime - 12 Episódios
2009
7 em 10

Este é um anime muito interessante: trata-se da adaptação para animação de vários livros e contos do Japão moderno. "Aoi Bungaku", a "Literatura Verde", é verde porque é sempre actual e porque, por isso, fica para a história. Para uma juventude que cada vez gosta menos de ler e para os mais antigos que acham que estas histórias ficaram no passado, é uma forma muito boa de motivar as pessoas a procurar estes clássicos e regressar a eles.

No início, um senhor fala um pouco dos autores e da sua influência no mundo literário Japonês, assim como toca levemente nos significados ocultos destes livros.

Existem várias histórias, das quais falarei individualmente:

No Longer Human (Ningen Shikkaku) - Para mim esta foi a melhor, apesar de ter sido logo a primeira. Um homem tem dificuldade em compreender o mundo feminino e, por isso, entra numa espiral de depressão e acaba por matar acidentalmente (ou não) uma mulher. Quando volta a equilibrar a sua vida, voltam esses fantasmas e ele pensa-se também um fantasma. Conforme disseram no início de cada episódio, esta história tem todo o ar de ser auto-biográfica. Acaba por ser uma análise emocional muito forte do personagem, funcionando também um pouco como crítica social da época.


In the Forest, Under Cherries in Full Bloom (Sakura no Mori no Mankai no Shita) - Apesar das nuances assustadoras da narrativa, esta parte corta completamente com a inicial, estando recheada de música e comédia. Foi a que gostei menos, pois achei-a altamente anticlimática, apesar de dentro do tema.


Kokoro - Uma história sobre relações humanas, amizade e solidão. Pareceu-me que soube a pouco e que a narrativa não estava desenvolvida de forma adequada.


Run, Melos! (Hashire, Melos!) - Com um toque teatral, também gostei muito desta. É uma nova forma de contar esta peça do teatro clássico, mas de uma forma tão subtil, com a mistura entre o criador e a peça de teatro em si, que se torna altamente emocional e intensa.


The Spider's Thread (Kumo no Ito) - Sem dúvida a secção com a arte mais original, utiliza-a de forma essencial para contar uma história que, sendo simples, tem um elevado grau de moralismo social. Gostei imenso desta também, sobretudo porque o personagem parece que se está a desenvolver de forma positiva e acaba por deitar tudo a perder, pois a sua caracterização inicial prevalece.


Hell Screen (Jigoku Hen) - De forma a contar uma história aterrorizante, utilizam um expressionismo fantástico que me pareceu totalmente desnecessário e muito pouco adequado ao tema da história.

Para além destes aspectos, contamos com uma arte firme e animação brutalizante, como o estúdio nos tem habituado. Os designs são fortes, as cores claras e os ambientes são retratados de forma idealizada para cada tema.

Musicalmente também temos uma grande força, com temas originais e muito bem conseguidos, embora por vezes pareçam um pouco escusados dentro do contexto.

Se o objectivo deste anime era deixar-me com vontade de ler estes livros... Conseguiu-o em toda a sua totalidade! De qualquer forma, é um anime muito interessante que, sem dúvida, vale a pena ver.



Sem comentários:

Enviar um comentário