4.10.15

The Rocky Horror Picture Show

The Rocky Horror Picture Show
Jim Sharman
Filme
1975
7 em 10

Este é o filme ideal para o Halloween, mas como maluca neo-pagã recuso-me a celebrá-lo. Portanto vimos o filme agora. Row row faite da powa.

Nos idos anos 60 e 70 havia um tipo de sessão de cinema que era o Double Feature. Passava dois filmes de série B horríveis e eram sempre à meia noite. The Rocky Horror Picture Show é um musical de série B feito para gozar com os filmes de terror de série B das Double Feature.

Tudo começa quando um casal de criaturas limpas e inocentes anuncia o seu noivado e decide ir visitar um professor que é seu amigo. Perdem-se na floresta, numa noite de chuva perniciosa, e batem à porta de um castelo, onde está a acontecer uma festa. E a vida deles muda, para melhor ou pior, quando conhecem o Dr. Frank N Furter, um travesti da Transexual Transylvania.

É uma história que é difícil de definir, pois tem algo de terror, tem algo de comédia, algo de ficção-científica e tem algo de muito ilógico a acontecer. Este filme atira pela janela os estereótipos sexuais e, no fundo, tudo termina numa grande festa e numa inusitada orgia de cores e conceitos.

Todas as músicas são excelentes, com um sentido de humor desprovido de vergonha e com letras de rimas tão improváveis e terríveis que se tornam absolutamente memoráveis.

Gostaria também de deixar uma nota para os actores. A sua performance é dicotómica em certo sentido. Eles brilham nas músicas e coreografias, isso é certo, mas o seu método de acção é propositadamente mau, o que por vezes torna o filme um pouco maçudo, como se ninguém o estivesse a levar a sério. Ninguém está, mas podiam fingir. Outra nota fica também para o hipnotizante trabalho de maquilhagem. Exemplo a ser seguido.

De resto, agora deixem-me sossegada que eu vou por a minha maquilhagem e cantar para o meu patooties.

Sem comentários:

Enviar um comentário