5.10.15

Taiyou no Ouji - Horus no Daibouken

Taiyou no Ouji - Horus no Daibouken
Toei Animation - Takahata Isao
Anime - Filme
1968
7 em 10

Desta feita aconteceu uma raridade: o Qui recomendou-me um filme de anime! Descobriu-o enquanto procurava animes influentes no ocidente e em Hollywood. Esta é uma obra dos idos anos 60 que não deve passar ao lado de um conhecedor.

Temos uma história muito simples, mas num universo altamente sofisticado e muito detalhado. Neste país indígena existe um medo para com o Inverno. O Inverno pode chegar a qualquer momento, pelas mãos de um terrível feiticeiro. Enquanto luta contra os lobos que são seus criados, um jovem chamado Horus encontra a Espada do Sol. Com ela, poderá impedir a tragédia. A história simplificada surte um efeito muito bom tendo em conta a animação, da qual falarei em seguida. Infelizmente, achei que o método narrativo poderia ter sido diferente e melhor aproveitado. Há um intercalar de cenas com divisões muito patentes, o que quebra um pouco o ritmo da história e pode torná-la aborrecida.

As personagens são encantadoras e reconhecíveis, distinguindo-se dentro do contexto pela sua força física e moral. Achei especial interesse na personagem de Hilda, que se encontra dividida entre o bem e o mal e apresenta esta dicotomia de forma extremamente versátil. Quanto a Horus e o seu oponente, estão divididos dentro do seu estereótipo e acabam por ter atitudes um pouco previsíveis.

O ponto alto deste filme é, sem dúvida, a animação. É excelente, tanto para época quanto para os dias do agora. Apesar de algumas limitações, existem cenas muito bem coreografadas e um nível de fluidez que roça o excelente. Os designs e todo o cenário deste universo são muito detalhados e criam um ambiente identificável e único. Até mesmo a utilização de sombras e efeitos de luz diversos são muito trabalhados, o que era muito raro nesta época.

Trata-se, também, de um filme com muita música. Não podendo classificá-lo como um musical, o som é parte integrante desta película e através dele compreendemos mais e mais sobre o universo que se pretende retratar. As peças em si são muito originais e típicas de uma era que se perdeu.

Assim, apesar da idade, é um filme que se excede. Recomendo-o a todos os que queiram saber um pouco mais sobre a história do anime.

Nota: depois de ler um pouco sobre ele descobri que Hayao Miyazaki teve um dedinho no filme. Era apenas um de muitos Key Animators. :p

Sem comentários:

Enviar um comentário