23.12.16

Amor é Prosa, Sexo é Poesia

Amor é Prosa, Sexo é Poesia
Arnaldo Jabor
2004
Crónicas

Escolhi colocar este livro no Kobo porque adoro esta música da Rita Lee. Descobri agora que foi baseada numa das crónicas deste jornalista brasileiro e que este livro, assim, reúne um vasto conjunto destas, versando sobre uma série de assuntos, desde o amor, o consumismo, a política e, no geral, a actualidade.

Claro que o que era actual em 2004, data desta edição, poderá ser muito diferente do que se passa agora.

Existem diversos temas a ser tratados e senti uma certa estranheza nestes crónicas, pois o autor parece não ter uma opinião muito firme sobre qualquer um dos assuntos que trata. Quero dizer com isto que por vezes ele aparece como altamente machista e racista, sendo que em outras vezes aparece plenamente disponível à aceitação do que está fora da normalidade.

As crónicas estabelecem uma série de estereótipos, sobretudo relativos à figura feminina e às suas bundas, que hoje em dia não seriam - de todo! - aceites em qualquer tipo de revista, a menos que o sistem aeditorial do Brasil seja completamente distinto do nosso. Assim, pode-se dizer que o autor teve muta sorte na sua época.

Mas há algo em que concordo: Arnaldo Jabor cita muitas vezes o consumismo capitalista desenfreado que ocorre hoje em dia (dez anos depois ainda é actual), numa busca constante pela perfeição do corpo, pela obtenção de popularidade, na venda da personalidade própria como um objecto. Caminhamos cada vez mais para aí, devido à recente "cultura de likes" que temos, o que é verdadeiramente assustador.

Este volume não reúne nada de novo ou revolucionário, mas pode ser que algumas pessoas lhe achem graça.

Sem comentários:

Enviar um comentário