24.9.16

Em Busca do Tempo Perdido 5 - A Prisioneira

Em Busca do Tempo Perdido 5 - A Prisioneira
Marcel Proust
1923
Romance
 
Abandonamos o Kobo para regressar ao mundo dos livros físicos. E que melhor forma de recomeçar do que com a continuação do Em Busca do Tempo Perdido? :) Este quinto volume foi editado apenas postumamente, dez anos após a primeira edição do primeiro volume.

Neste volume, o narrador leva a já famosa Albertina para casa. No entanto, tem constantes acessos de ciúmes que fazem com que ele a prenda na sua própria residência, de forma a que ela não possa ver ninguém nem ter qualquer amiga, para que não seja seduzida pelo universo de Gomorra. Para além disso, há uma grande cena em casa dos Srs. Verdurin, em que o Sr. de Charlus é expulso do seu círculo social por nenhuma razão lógica (sem ser a de "fica mal nas festas")

Se as imposições sociais relatadas pelo ambiente dos salões dos Verdurin acabam por se tornar pouco relevantes neste contexto, já que em quatro volumes anteriores levámos com uma grande injecção delas e já sabemos o que se passa, a relação do narrador com Albertina começa, finalmente, a revelar muita coisa sobre o primeiro.

O narrador tem um pânico constante de ser traído, mas ainda assim procura em Albertina a primeira imagem que teve dela, a das raparigas em flor. Ora, esta personagem evoluiu e neste momento é mais inteligente e mais sarcástica, perdendo muito da sua inocência inicial. Assim, o narrador parece prendê-la em casa para que a sua imagem não desapareça. Isto é, apesar de tudo, ele continua sempre "em busca do tempo perdido". Isto demonstra que este narrador não é o rapaz idealista e tímido que ele nos tem vindo a tentar desenhar. É, antes disso, uma pessoa altamente manipuladora, tal como todos os outros da alta sociedade que o rodeia nos salões que frequenta.

Estou ansiosa pelo próximo volume!

Sem comentários:

Enviar um comentário