4.11.14

Shion no Ou

Shion no Ou
Kawase Toshifumi - Studio Deen
Anime - 22 Episódios
2007
6 em 10

Finalmente de volta a ver anime para o clube! Vale sempre a pena.

Shion no Ou, o Rei de Shion, fala sobre um jogo pouco referenciado no anime: shougi. Trata-se de um jogo japonês muito semelhante ao nosso xadrez, mas com algumas regras distintas. Não posso elaborar muito sobre isto, pois não compreendi bem o jogo. Shion é uma rapariga que não fala, comunicando-se apenas por frases escritas num bloco de notas. Isto porque os seus pais foram brutalmente assassinados à sua frente quando era muito pequena. À medida que joga e avança neste campeonato, Shion aprende mais sobre o assassino e sobre as pessoas que o rodeiam.

É um anime bastante interessante, mas há algumas coisas nas quais a história peca. Para começar, o aspecto do jogo não é muito desenvolvido, não dando ao espectador oportunidade de compreender o jogo e as estratégias utilizadas completatamente. Isto tira parte do entretenimento do anime, que se foca bastante neste aspecto. Por outro lado, há coisas que não fazem muito sentido acerca do crime inicial, nomeadamente porque é que a polícia não associou, apesar de ter tido tantos anos para investigar, o assassino ao tabuleiro de shougi.

Os personagens são cativantes, havendo uma dicotomia muito interessante entre Shion e um crossdresser. Não só estas pessoas têm características bastante humanas e com as quais nos podemos relacionar, mas o envolvimendo delas uma com a outra e com o universo ao redor está bastante bem construído, criando um laço que tanto pode ser de amor como de amizade no seio de um jogo que se caracteriza pela guerra, pela oposição e pela conquista. Sobretudo Shion, é uma menina da qual não podemos deixar de gostar: sincera, honesta, um elemento pacificador.

A arte tem traços fortes e cores bastante vivas, embora tenha achado que o teor do anime merecesse um ambiente mais noir e um pouco mais opaco. Não existem grandes cenas que demonstrem uma animação excelente, mas talvez a simplicidade dos movimentos ao longo da narrativa seja o suficiente para criar uma boa arte.

Se a OP não é muito feliz, é largamente compensada por uma ED cheia de esperança. O tema recorrente, em piano, ao longo das cenas, cria uma tensão imensa, tanto nos jogos, como nas memórias.

É um anime bastante bom, mas apesar de tudo tem certas falhas que não o tornam perfeito. Recomendo-o casualmente, mas não o colocaria numa lista.

Sem comentários:

Enviar um comentário