3.11.14

Kyousougiga

Kyousougiga
Matsumoto Rie - Toei Animation
Anime - 10 Episódios + 1 ONA + 2 OVA
2013
6 em 10

Era para ter visto este anime para o meu clube habitual na altura em que estava a ser discutido, mas o Random.org não deixou. Não seis e alguma vez vos disse, mas eu escolho a ordem dos animes que vejo através da randomização. Depois de muitos meses de espera, este foi o anime escolhido pelo Random. Finalmente! E finalmente acabei tudo aquilo que tinha no disco para ver e agora poderei começar a sacar coisas novas (ou novas-velhas).

Aparentemente, tudo o que as pessoas gostam neste anime é tudo aquilo que eu não gosto nele. Um amigo do canal de IRC que frequento enumerou todas as coisas, portanto vou usar isso como base para este comentário. :)

Execução perfeita da história - A história é extremamente simples. No fundo, é um drama familiar passado num universo fantástico, numa versão alternativa da mitológica Quioto que todos conhecemos. Apesar do universo em que se passa, as regras da história são as mesmas que no mundo real. Assim, a versimilhança do universo acaba por se romper, a partir do momento em que se estão sempre a passar coisas estranhas mas estas não obedecem a nenhuma regra diferente da habitual, o que torna um pouco difícil de acreditar de que este mundo existe realmente.

Personagens amáveis - Isto para não dizer adoráveis, pois detesto a palavra. Os personagens são igualmente simples e caracterizam-se com recurso a muitos flashbacks, o que não é de todo a opção mais sábia devido ao tipo de narrativa do anime. Todos eles procuram essencialmente a mesma coisa, a sua família, os seus pais. Quando há a resolução da história, não aparentam ter aprendido nada com esta busca. A única parte boa será a caracterização de Koto (a menina), pois as suas atitudes são efectivamente infantis e apropriadas à idade que aparenta ter.

Arte e animação fixes - Usar um estilo de arte muito alternativo pode ser um pau de dois bicos. Neste caso, tem tanto momentos muito interessantes como momentos muito aborrecidos. No caso dos primeiros, são aqueles em que há uma mistura de cores e formas para criar elementos bizarros e inquisitivos, momentos tripanário. Mas o segundo caso é muito mais frequente. Acontece porque os cenários utilizados são sempre os mesmos e estes são muito aborrecidos e sem nada esteticamente apelativo, animado ou inanimado, que nos prenda a atenção enquanto ouvimos as conversas (que por vezes são bastante inócuas, portanto faria falta algo para nos entreter visualmente)

Referências religiosas bem implementadas - Neste aspecto concordo, apesar de não ser algo com peso suficiente para alterar a minha percepção da obra. As referências são bastante simples, como numa história infantil, mas depois tentaram dar uma sofisticação às ideias que as tornou confusas e, no fundo, irrelevantes para o contexto.

Este é um anime absolutamente normal. Não se deixem enganar pela arte açucarada.

Sem comentários:

Enviar um comentário