24.10.16

Festa no Covil

Festa no Covil
Juan Pablo Villalobos
2010
Novela

Começo a ler os livros que me ofereceram pelo meu aniversário (aniversário!). Este foi o Qui que me ofereceu, escolhido com todos os cuidados que Qui tem em escolhas. :) Trata-se de um livro curtinho, com apenas 80 e poucas páginas, mais uma novela do que um romance. É o primeiro livro de um autor Mexicano em ascendência e, para primeira obra, é um trabalho divertido e bem curioso.

Narrado na primeira pessoa, conta as aventuras e desventuras de um rapazinho que, de entre todas as coincidências, é filho de um barão da droga. Assim, a sua forma de ver o mundo é bastante diferente da das outras crianças. Tem uma colecção de chapéus tão vasta que precisa de um quarto só para ela e o seu sonho é ter um hipopótamo anão do Líbano para a sua colecção de animais.

O discurso é muito divertido, porque é narrado por uma criança pequena (embora nunca saibamos exactamente a sua idade). Ele considera-se um prodígio porque conhece uma série de palavras ditas "difíceis", que repete constantemente na sua narrativa. No entanto, acaba por ser uma criança simplesmente inadaptada, pois não tem contacto com os seus pares e vive rodeado por um ambiente de perigo e constante suspeita. Ainda assim, há uma confiança cega naqueles que o rodeiam e, de certo modo, quase podemos dizer que este miúdo tem uma vida feliz.

É uma suposição muito grande pensar como seria a infância no palácio do cartel da droga, mas é uma ideia bem concebida e muito bem executada. Fala mais sobre as alegrias da infância, mas de uma perspectiva um pouco perversa.

Um livro divertido, simples, que me arrancou sorrisos bastantes. Obrigada, Qui :)

Sem comentários:

Enviar um comentário