18.12.15

Cutie Honey

Cutie Honey
Katsumata Tomoharu - Toei Animation
Anime - 25 Episódios
1973
5 em 10

Depois de ver um muito bem conseguido remake, achei por bem ver o original, já que tinha ficado bastante curiosa. Produzido no início dos anos seventis, é um anime original e único em alguns aspectos, inspirando coisas que vieram a ser ícones num futuro não assim tão distante.

Para começar, este anime inicia a moda das meninas mágicas, sendo Honey a primeira "Ai no Senshi" (guerreira do amor) criada para lutar contra as forças do mal. No entanto, e por outro lado, Honey é também um dos pontos de origem do género ecchi. Assim, temos um anime que por um lado está dirigido ao público feminino mas que, por outro, está sempre a mostrar "atributos" mais dirigidos a uma massa masculina. Isto é, de facto, algo bastante original e interessante, sobretudo para a época.

A história é muito simples e baseia-se num esquema de "monstrenga da semana", em que Honey tem de utilizar os seus poderes de transformação em diversas pessoas diferentes para vencer uma criatura horrorosa, sempre diferente. É interessante ver como as suas oponentes, e até mesmo todas as suas amigas, são pessoas horrendas e feias (chegando uma delas a ter bigode?), em oposição à beleza clássica da personagem principal. Enfim, não temos uma história muito complexa.

Também não é complexa a animação e arte, o que é esperado para a época. Temos muita variedade de cores e cenários originais, embora totalmente estáticos. Existem bastantes erros na animação, sendo também frequente o uso de frames repetidas ad nauseum. No entanto, se considerarmos o ano de produção, não podemos dizer que esteja assim tão terrível.

É um anime que depende muito dos artistas de vozes, já que as acções dos personagens são muito fixas. Estes fazem um trabalho excelente, trazendo emoção a momentos inesperados. É curioso ver que no remake utilizaram a mesma OP, que é muito risonha, sendo que a ED é tipicamente romântica.

Um anime com interesse histórico, mas que não recomendaria a alguém menos versado.

Sem comentários:

Enviar um comentário