14.12.15

Space Adventure Cobra

Space Adventure Cobra
Dezaki Osamu - Tokyo Movie Shinsha
Anime - 31 Episódios
1982
6 em 10

Depois de ter visto Psychogun, acrescentei a série original à minha lista de animes para ver (a famigerada Plan to Watch, o PtW). Tinha ficado curiosa com o ambiente polposo do OVA. Fiquei bastante contente por ter tido a oportunidade de ver este anime, que - de certa forma - é único no seu contexto.

Cobra é um ladrão ou pirata ou algo que o valha que anda pelo espaço com a sua companheira e ajudante, Lady Armoroid. Além de ser um gajo todo pimpão, um dos seus braços e a poderosa Psycho-Gun, uma arma de laser que funciona através da mente. Ora, Cobra é constantemente perseguido devido a estas características e, ainda mais frequentemente, envolve-se em diversas alhadas e aventuras. Mas duas coisas unem todos os episódios: putas e vinho verde. Sim, porque Cobra encontra sempre (sempre!) uma bacana qualquer toda gostosa que se apaixona por ele, ou o quer matar e depois se apaixona por ele.

Neste aspecto, achei a sexualização feminina altamente exagerada, mas ainda assim típica da época. Temos toda a variedade de corpos femininos, desde a normal bond-girl (ou será uma Cobra-Girl?) até dançarinas com quatro braços e seis olhos. No entanto, nenhuma destas personagens sofre qualquer tipo de caracterização, o que acaba por lhes tirar a sensualidade e remetê-las para um efeito de boneco e objectificação total. Quanto a Cobra, apesar de ser um personagem divertido e muito leve, tem pouco mais densidade que as suas piadas e a sua capacidade física.

O universo em que estas pessoas vivem está caracterizado de forma detalhada e intensa, levando-nos sempre a questionar que coisa bizarra virá a seguir e como é que Cobra se vai safar disso. No entanto, a arte está muito desactualizada. Aliás, quando comecei a ver atirei para o ar a década dos setentas, sendo com grande espanto que vi que tem mais dez anos que isso. As cores são limitadas, o sombreado é pouco detalhado e há pouco destaque para maquinaria ou paisagens. Apenas as mulheres parecem ter alguma dedicação posta nelas, mas o seu design é também bastante limitado e acabam por ser todas iguais (exceptuando o biquini que cada uma usa)

Tal como no OVA, a melhor parte será, sem qualquer dúvida, a música. Que querem que faça, eu simplesmente adoro baladas azeiteiras japonesas dos 80s! Até agora continuo a cantar a ED, hehehe

Mas enfim, um anime que vale a pena ver pela sua originalidade e valor histórico, mas que poderá irritar até os mais sensatos.

Sem comentários:

Enviar um comentário