4.6.15

Coelho em Paz

Coelho em Paz
John Updike
1990
Romance

Recebi este livro num RABCK do BookCrossing, que consistia em escolher de entre vários livros disponíveis numa estante de uma pessoa amiga e querida. Escolhi este mais por causa do título, com toda a fé de que iria gostar imenso. Depois de ler a sinopse, mais fiquei convencida disso. Mas a verdade é que... Foi uma dor terminar este livro. Por momentos, pensei que nunca o fosse terminar. Foi realmente um esforço imenso.

Último de uma tetralogia à volta do mesmo personagem, Coelho, apresenta-se numa parte da história em que este homem é um "velho" de 56 anos. Desde aí se estabelece uma narrativa que faz pouco sentido: desde quando ter 56 anos é considerado "velho"? "Idoso"? Enfim, o livro relata os momentos finais desta vida imensa, em que o personagem Coelho tem de lidar com o aborrecimento, com a falta de concretização da sua vida e com um filho toxicodependente e a sua família.

O livro segue lentamente os diversos momentos destes dilemas familiares, prolongando-se em aspectos completamente irrelevantes. A narrativa perde-se em descrições extensas e muito detalhadas de coisas que são aborrecida e que não interessam: jogos de golfe, anúncios de televisão, sucessões de estradas nacionais e autoestradas.... Isto torna a leitura extremanente fastidiosa, demorada e cansativa. Por um lado, talvez o autor tenha querido transmitir o aborrecimento da vida de Coelho, mas podia tê-lo feito de modo a não aborrecer o leitor.

Para mais, as descrições são gráficas de uma maneira desnecessária, com referências sexuais pavorosas constantes e analogias que, sendo originais, são desinteressantes e rebuscadas.

O final do livro, que é suposto ser bastante forte e comovente, torna-se um verdadeiro alívio, pois finalmente terminou e não teremos mais que ouvir falar destas pessoas horríveis. Os personagens estão bem construídos, mas são todos pessoas execráveis, pelas quais ganhamos ódios de estimação, sendo que nem sequer esperamos que lhes aconteçam coisas más: queremos simplesmente que desapareçam.

Um desapontamento de livro e um autor a não repetir.

Sem comentários:

Enviar um comentário