28.7.13

Truancy

Truancy
Isamu Fukui
Romance
2007

Finalmente o último livro da Feira do Livro. Precisava de quatro para ter um desconto e este só custava 3€, por isso lá foi ele. O autor é Japonês (mas vim a descobrir que é só o nome, o jovem é Americano) e pareceu-me cyberpunk, por isso lá fui eu. Estava enganada, mas o livro não deixa de ser engraçado.

É sobre uma escola opressiva num regime totalitário e os revolucionários - Truancy - que se opõem a ela. Recheado de cenas de acção com facas de cerâmica e espadas de cerâmica, e rockets, e granadas, e pistolas, e pontapés, e rotativos... Todas elas um pouco aborrecidas... O livro transmite um ambiente interessante que poderia ter estado melhor desenvolvido.

Mas convenhamos que o autor tinha 15 anos quando escreveu isto, pelo que a escrita é desde logo um pouco imatura. Há uma repetição constante de conceitos, nomeadamente o "estudantes são gado", que se torna um pouco aborrecida, pois o universo poderia ter sido descrito de forma mais contundente e perturbadora. Porque realmente a escola deste mundo totalitário não parece assim tão má, nem se demonstra no livro como é que ela realmente afecta o comportamento dos adultos, que parecem ser todos desinteressados mas ainda assim com uma vivência, coisa que num mundo Orwelliano não faz assim muito sentido (apesar de eu ainda não ter lido a sua grande obra, alguém ma vai emprestar um dia, espero eu)

A ideia está muito gira e poderia ter sido melhor aproveitada, de forma mais eficaz para impressionar o leitor, se tivesse sido escrita com menos raiva. Até existe o chamado personagem auto-inserido, que tem um papel de mentor todo-poderoso, com os ideais "correctos". Isto é, uma escrita típica de adolescente. Espero que o autor tenha evoluido, embora eu não o vá procurar. Talvez se o encontrar por acaso o volte a ler.

No entanto, é uma leitura muito divertida e fácil, eu fiquei colada ao livro. É para partilhar!

Sem comentários:

Enviar um comentário