3.7.13

O Exorcista

O Exorcista
William Peter Blatty
1971
Terror

Um livro que comprei na Feira do Livro por estar muito barato e, bem, porque não? Eu tenho pavor de filmes de terror, devo ter visto dois na minha vida inteira (e morri com eles), mas com livros até me dou bem. E depois pensei "bem, o livro é sempre melhor que o filme, por isso depois disto posso ver o filme nas calmas que não me vou assustar". Talvez não. Talvez por já ter visto algumas imagens do filme, imaginei todo o livro com essas imagens em mente. E o livro perturbou-me grandemente.

A história quase não fala do exorcismo. Há uma menina que aparenta estar possuída, mas os médicos no livro, e o padre psiquiatra, passam o tempo todo, quase até ao final, a convencer-se de que isto não é obra do demónio, mas sim um desdobramento de personalidade. E quase que conseguem convencer-se, até a um momento final em que Karras, o padre psiquiatra, vê que realmente há ali qualquer coisa.

Pessoalmente, eu não acredito em demónios, diabos ou forças malignas. A minha religião tem os deuses mas não tem coisas opostas aos deuses: eles têm em si as coisas boas e as coisas más, são neutros e estão em equilíbrio. Já sabem, já vos disse, que sou pagã. E não sei exactamente, pois não o estudei (mas valerá a pena pesquisar) o que é que os pagãos acham das possessões demoníacas e todas estas coisas. Sei que há alguns que acreditam em fantasmas e espíritos menos bondosos. Eu própria tenho uma experiência para-anormais do género, mas a minha criatura (o que quer que ela seja, chamamos-lhe A Sétima Pessoa) não aparenta ser boa nem má. Está apenas lá.

Ainda assim este livro deu-me vontade de explorar o que será isto das possessões.

O livro não é muito assustador, mas é perturbador de uma maneira psicológica. As descrições são detalhadas mas são feitas de forma fria, de forma a que não nos associamos emocionalmente a nenhum dos personagens ou situações. Mas não deixamos de pensar "e se isto me acontecesse a mim?" Espero mesmo que não.

Até tive pesadelos com o raio do livro. Não o quero ter em casa, que só de olhar para ele me sinto desconfortável. É esse o nível de qualidade do livro. Enfim, vou fazer um BookRay no BookCrossing, para ver se ele vai parar a mãos menos assustadiças!

Sem comentários:

Enviar um comentário