7.3.17

Moana

Moana
Ron Clements & John Musker
2016
Filme
7 em 10
 
A Disney bem nos tenta surpreender com a sua fórmula de princesas mas, uma e outra vez, falha redondamente. Moana é mais uma tentativa, não mal conseguida de todo, mas ainda muito aquém da magia do antigamente.
 
Este filme passa-se numas ilhas tropicais, Hawaii ou Polinésia Francesa (tanto faz), e tem uma filha de um chefe (não uma princesa) que quer ir para o alto mar. Acaba por ter de ir, entregar um objecto ao seu lugar correcto, e é ajudada por uma figura mitológica, um semi-deus cheio de gracinhas.
 
Os personagens não impressionam, a história é extremamente simples e altamente previsível. O filme é um musical, mas recorre sempre a variações sobre o mesmo tema, que nem sequer é uma música especialmetne memorável. Pessoalmente, já nem me lembro como é. Outro detalhe que achei bizarro foi a constante referência a coisas da actualidade (o twitter, a sério), que retiram imediatamente a imortalidade e o futuro deste filme.
 
No entanto, se repararem na nota que eu dei lá em cima, existe algo mais para além disto neste filme. E isso é a animação. A animação é essencialmente revolucionária, na medida em que - pela primeira vez - temos um conjunto de texturas altamente realistas, quer nos cenários quer nos próprios personagens. Por vezes, chegava a parecer que estávamos perante actores reais em vez de figuras animadas. As cores e a utilização de luz são perfeitas para caracterizar todos os ambientes. Apesar de o filme se passar quase todo no mar, as imagens são tão distintas que podemos encontrar lugares diferentes dentro do mesmo espaço, se é que podemos dizer assim.
 
Também existem algumas sequências em animação 2D, um pouco mais tradicionais, que se mostram uma maneira muito eficaz de contar partes da história que poderiam ter ficado para trás.
 
Se ao menos a Disney arranjasse melhores argumentistas e fugisse da fórmula...

Sem comentários:

Enviar um comentário