24.3.17

A Rapariga no Comboio

A Rapariga no Comboio
Paula Hawkins
2015
Romance

Mais um livro da minha irmã, que se que foi lido (apesar de não ter sido eu a ferecer ;) ). Havia ouvido falar imenso deste livro, já que se tratou de um fenómeno de vendas, um verdadeiro best-seller que foi imediatamente adaptado ao cinema - popularizando-o ainda mais.

Um thriller psicológico com muito de policial, conta história de Rachel, uma alcoólica que foi abandonada pelo marido, que a trocou por outra e entretanto já teve um bebé. Rachel passa todos os dias em frente à sua antiga casa no comboio que a leva a Londres, onde finge que vai trabalhar, e acaba por observar os seus "vizinhos", para os quais inventou nomes e novas vidas. Um dia, acorda de ressaca e sem se lembrar de nada. Depois, descobre que a rapariga com que fantasiava desapareceu, possivelmente raptada ou assassinada. O livro, então, toma o rumo em que Rachel tenta recriar a noite de bebedeira que esqueceu, de forma a ajudar na procura pela rapariga desaparecida.

Não posso dizer que este seja um mau livro. No entanto, também não lhe posso dar um selo de excelência. Apesar da história estar bem contada, existe um certo ponto de viragem em que se torna absolutamente previsível e, imediatamente, conseguimos deduzir quem é o culpado, com algum jogo de cintura. Assim, a parte final do livro apareceu-me como um pouco forçada.

Para além disso as personagens deste romance sofrem muito pouca caracterização e desenvolvimento. Isto é, a autora mostra-nos muito do seu percurso até ao seu momento actual, mas tudo (tudo!) tem alguma relação com a maternidade e bebés. Talvez isto seja causal, um elemento de união entre as três mulheres que protagonizam a história, mas é bastante enfastiante e repetitivo, como se todas as personagens fossem apenas uma.

De resto, foi uma leitura simples e rápida.

Sem comentários:

Enviar um comentário