18.1.16

Labyrinth

Labyrinth
Jim Henson
Filme
1986
7 em 10

Pois é, o fatídico dia aconteceu. Todos pensávamos que ele ia sobreviver ao resto da humanidade, mas a verdade é que David Bowie entrou na nave espacial para voltar ao seu planeta natal. Fiquei triste, mesmo muito triste. Até chorei um bocadinho, é verdade. Mas a melhor forma de celebrar um artista não é chorar a sua morte, nem brindar vezes e vezes sem fim enquanto nos entristecemos ainda mais. A melhor forma é mesmo admirar a sua obra. Portanto, para além de terminar de ouvir a discografia, de ouvir repetidamente o novo (e último) album... Vamos ver os filmes que me faltavam ver! Começamos pelo Labirinto, um filme de fantasia dos anos 80 que veio mesmo a calhar, pois *adoro* este tipo de filme!

Uma miúda mimada vive num mundo de fantasia, em que o Rei dos Goblins é o seu apaixonado e onde ela pode fazer tudo o que quiser. Mas quando o verdadeiro Rei dos Goblins aparece e leva o seu irmão bebé para longe, para o tornar num goblin, a rapariga tem de mudar um pouco a sua perspectiva de vida. Pois, para salvar o irmão, tem de ultrapassar um misterioso e complicado labirinto, cheio de criaturas estranhas que nem sempre são muito simpáticas.

É um filme simples, com uma moral amorosa no final. Afinal, é revelado que tudo não passa da imaginação da moça, os goblins, Jareth (o rei) e até mesmo os seus amigos, e que a imaginação pode controlar uma pessoa até a dominar completamente. O melhor é focar-nos na vida real e voltar a esse reino encantado só de vez em quando, para fazer uma festa.

A minha parte preferida é, sem dúvida, o universo em que isto se passa. Os bonecos e marionetas estão todos muito bem feitos e são muito realistas, embora alguns efeitos especiais estejam já desactualizados. Os personagens têm todos muita força, uma capacidade inata para nos encantar e desejar viver neste reino dos goblins onde David Bowie é o rei. Para mim, é realmente o rei de todo o filme. Não só porque compôs uma banda sonora cheia de vivacidade, fazendo as vozes necessárias a todos esses personagens, como manda naquela gente toda e é o mais maluco do conjunto. <3

Talvez a parte menos boa tenha sido a actriz principal, que não foi muito expressiva e que não demonstrou correctamente a evolução da sua personagem.

Mas confesso que adorei o filme: eu gosto imenso desta fantasia cinematográfica dos anos 80 e por mim via estes filmes todos os dias!

Sem comentários:

Enviar um comentário