23.9.14

Anifest 2014


Evento

Tudo isto começa em Março. Pois é. Foi quando comecei a fazer aquele fato super simples com que me apresentei no dia tal. Mas de repente, surge a primeira questão! Dois eventos no mesmo fim de semana? Ambos com concursos com sukitos? E agora? Olhem, eu por mim vou ao que gostei mais no ano passado. Se bem que fica a questão... Não é esta comunidade pequena o suficiente para as pessoas conversarem umas com as outras e se fazer um calendário de eventos com pés e cabeça? Afinal, estivémos o Verão todo sem nada a acontecer (fora o evento do Allgarv, a que eu nunca fui mas irei um dia, fica a promessa!). Mas enfim, há-de haver maiores motivos.
/introdução desagradável

Dizia eu que tudo isto começou em Março. Foram muitas horas. Nestas últimas semanas andava passada: chegava a casa do trabalho, ligava a música e fazia cosplays. Estive num regime exclusivo de Gackt e The Smiths. Tudo para poder participar nas coisas! =D E funcionou! Acabou por correr tudo bem! Não mais pânico. Vamos assentar e vamos descansar... Uff

Ora então, o Anifest deste presente ano 2014 decorreu precisamente no mesmo sítio onde foi no ano passado. ETIC, escola de artes e comunicações gerais sita no Cais do Sodré. Um jeitão, tenho autocarro directo para lá. E fica mesmo ao pé dos barcos, pelo que o caminho para Almada também foi fácil a seguir. Em termos espaciais, estava tudo bastante igual ao ano anterior. Mais uma saleta de workshops e uns cam arins bem largueirosos no andar superior, onde cabia toda a gente e estava fresco. Fica a sugestão de que as bancas dos artistas beneficiariam de não estar no meio do caminho das pessoas, porque na zona deles formava-se um trânsito arrepiante, entre pessoas paradas a ver, pessoas paradas a gritar e pessoas a tentar passar.

Este ano o palco plastificado foi uma melhor opção (menos escorregadio que a alcatifa e, portanto, menos perigoso a quem ande aos saltos de sapatos esquisitos. O que não seria o meu caso), se bem que a acústica do salão... É estranho, porque é a ETIC, mas a verdade é que eu no palco percebia muito mal as minhas próprias canções. O mesmo para o que os apresentadores diziam. Chamavam-me e eu não percebia o meu próprio nome. É verdade que, no meio de todas as minhas deficiências, eu oiço muita mal. Mas não haveria de ser só isso, ou seria?

Respeitante a lojas, estavam lá duas, a Kingpin e a Loja da BD. Ainda vi uns mangas interessantes, mas não me deu vontade de gastar uma pequena fortuna em algo que poderia não ser genialérrimo portanto não comprei nada. 

Os artistas, que são bons artistas, tinham coisas giras e estive tentada a comprar uma print da Sailor Júpiter. Mas acabei por não comprar. Na verdade queria um desenho na hora, mas já tinha desenhos de todos os artistas presentes e não queria repetir. Fiquei na dúvida se havia de repetir ou não, tão na dúvida, tão na dúvida, que me fui embora esquecida do meu souvenir tradicional. Pela primeira vez havia phone-straps com fartura, mas já não os colecciono: o meu novo telefone não tem buraquinho para penduricalhos, portanto não lhe posso penduricalhar nada e portanto já não tem piada. :<

Isto no geral dos gerais. Vejamos os detalhes imensamente pessoais, colocados a nu, da vida intimidante desta vossa humilde locutora. 

A verdade é que não interessa nada, mas estarão fotos em baixo, portanto continuem =D

Sábado de Intensa Actividade

Recebi um e-mail da organização dizendo que deveria estar presente no evento o mais cedo possível, para ter tempo de me vestir e chegar a horas à pré-avaliação do ECG. Recebemos todos esse e-mail assustador: adeus horas de sono, vais ter que acordar como se fosse dia de semana, pimbas. Mas com a excitação toda até acordei mais ou menos bem. Depois de um café toda a gente fica mais ou menos bem. :)

No autocarro, reparei que estava a chover. Mas o dia melhorou, ao menos isso.

Uma fila de elevadas proporções aguardava para entrar. Mas eu, como sou muito especial de corrida, coloquei o meu ar afogueado e dirigi-me para a bilheteira, informando da minha situação. Repare-se que deveríamos dar o dinheiro dos bilhetes directamente à organização, que depois nos daria a pulseira, para não andarmos pulseirados a tirar fotos de cariz oficial.

Depois de uma infrutífera procura, lá me indicaram o caminho para os camarins. Era para cima. E aí cheguei ao meu lugar preferido dos eventos. :) Gosto imenso de lá estar, falo com imensa gente e posso dizer porcaria à vontade, afinal estamos todos meio nus. Lá, encontro um membro do júri do ano passado, que comenta que o meu cosplay deste ano está muito melhor. Só isso já me fez valer o dia! Realmente, desta vez esforcei-me para ter uma coisa bem feita, mesmo que fosse simples. A verdade é que houve partes do fato, nomeadamente tudo o que era feito em madeira, que não foi nada simples. Mas falarei disso no meu Cosplay Portfolio a seu tempo. ;)

Entretanto, decido-me numa experiência! O meu cosplay tem uma bolsinha toda roxinha e fofinha, presa com um cordelinho. Que tal experimentar colocar o conteúdo da minha mala dentro da bolsinha? =D Assim escusava de andar de mala atrás, sobretudo porque a minha mala de sempre não combina com cosplay nenhum, muito menos o de uma tratadora de dragões na Ásia do século VIII. Resultado da experiência: negativo. Rapidamente tive de voltar aos camarins para arranjar a mé que tinha feito.

Saltitemos escada abaixo até à sala fotográfica onde teremos a nossa avaliação. Aguardamos um pouco e em breve temos o júri na nossa frente. Estrangeiros. Ainda bem que trouxe a letra da minha música traduzida para anglês, para eles compreenderem. Sim, estava nas regras que tinha de ser em anglês, mas eu não gostei dessa regra e portanto não obedeci a essa regra, arriscando a um desclassificamenteo, mas isso não é muito importante. :3 Que nunca se faça um skit para agradar a um juri! Faça-se um skit para entreter o público! Nisso não garanto que tenha tido sucesso, no entanto, enfim... ;__; Mas voltando ao assunto: expliquei assim por alto como fiz o fato, mas eles não faziam pergunta nenhuma então baralhei-me toda, não sabia o que havia de dizer. Depois perguntaram qual a parte favorita do cosplay... Eu disse que foi a luva! Porque era fofinha e quentinha e cheirava a chichi :) Mas eles ficaram a olhar para mim com cara de caso, então atrofiei. Se calhar devia ter dito a harpa.... Também perguntaram se o meu apito funcionava. Não funciona, mas também não precisa, pois no anime é um apito de ultra-sons para controlar bestas selvagens. Haha.

Falando nos estrangeiros, eram todos muito simpáticos e disponíveis, apesar de não falarem muito. O jovem das terras do norte fez-me sorrir, porque aparentava estar aterrorizado com tanto contacto físico. :) Aliás, quando as premiadas lhe foram dar um beijinho ele conseguiu virar o tabuleiro e transformar o beijo num abraço! Os fatos eram bem bonitos, é o melhor que há lá fora.

Cirandemos e observemos as coisas - conforme citado acima - até à hora do concurso. Voltei aos camarins onde ainda estava gente a vestir-se. Houve quem levasse bastante a mal esses atrasos e bem... O que se há-de fazer? Acontecem sempre. É má onda. Mas acontecem sempre. Já vi pessoal a ser desclassificado por se atrasar num Eurocosplay. Mas cada caso é um caso, cada evento é um evento e não vale a pena ficarmos aborrecidos por coisas que estão fora do nosso controlo. Eu não tenho grande opinião, a mim não me faz diferença porque eu não ganho nem perco, eu só estou lá.

Vou encontrando pessoas, muitas pessoas. Ninguém conhece a minha personagem, o que é natural. A Erin, de que eu fazia cosplay no momento, é de um anime para miúdos que pouquíssima gente viu e que passa mesmo por baixo do radar, apesar de ser excelente. Ensina coisas sobre a natureza e tal. E a personagem é maravilhosa! Daí ter-me mascarado dela. :)

Vi um pedacinho do concurso de dança. Uma moça azul e uma moça amarela. A amarela tinha muito mais energia e tinha, sem dúvida, montes de articulações, que se mexiam todas extremamente bem. Depois vi a entrega dos prémios. Ganhou um grupo monocromático, que era o único que tinha um rapaz. Disseram "temos o grupo desde o sétimo e agora estamos no décimo segundo!" Eu fiquei com vontade de chorar: no meu sétimo ano o pop que se ouvia eram os BoyZone.

Começa o concurso. Sou logo a primeira, para meu grande horror. Disseram-me depois que correu muito bem, mas pessoalmente não me sentia muito confiante... A comparar com as outras pessoas, que tinham painéis, mesas gigantes e árvores, sentia-me um pouco despida num skit sem cenários nem nada. Mas eu queria cantar aquela música (que inventei quando vi o anime) e foi o que fiz. :> Espero que tenham cortidooo~~

Depois fui despir o fato e arrumar a mala no bengaleiro (muito bem organizado por sinal!). Tinha de fazer horas, pois tinha combinado estar em Almada apenas às oito da noite. Ainda faltava bastante. Andei por aqui e por ali, bebi uma jolan, falei sobre as inimigas. Comprei o meu bilhete, ia-me esquecendo. Deram-me uma pulseira toda roxa e fofinha. Tirei fotos com o telemóvel às pessoas. Fiquei sem máquina fotográfica e portanto só tinha o telefone, o que dá um bocado de mau aspecto quando se pede para tirar uma foto. Mas fiz o melhor que podia... Por isso, ora bem... Aqui estão elas!

As FotoFotos Mais Bouas de Sábado



 Foi tão difícil tirar esta foto, estava sempre gente a meter-se ao lado para tirarem fotos, os príncipes eram demasiado populares :o




Façamos o pausa para beber um Simão e dormir. Vemo-nos no

Domingo Patológico

Se já estava com uma certa tosse na noite anterior, acordei completamente derreada. Dormi mal agasalhada e tinha apanhado uma caloraça gigante, por isso é natural. 

Neste dia, mais duas personagens se juntaram às aventuras fantásticas! O Zé Gato e o namoradim, doravante conhecido por Ni, vieram comigo até ao evento, para ver uns cosplays, tirar umas fotos e assistir ao workshop de fotografia. Fique a nota de que queríamos mesmo ir ao workshop de fotografia!

Chegamos um pouco mais tarde, ao meio dia e meio ou algo do género, e fui logo vestir-me. Perguntei se podia usar os camarins do dia anterior e disseram-me que sim. Lá chegada, tudo completamente, absolutamente, perfeitamente.... Vazio. Intimidada pela ausência de pessoas, deixei um papel com o meu número em cima da minha mala, para o caso de me terem informado mal e afinal ser proibido estar ali.

A minha personagem deste dia era a Kitajima Maya, de um anime dos anos setenta chamado Glass Mask. É sobre teatro, portanto posso fazer o que me apetecer com esta personagem que, como é actriz, está sempre in character quer estejamos a citar Gil Vicente ou a dançar a Gaiola das Popozudas. Que foi o que fiz no skit, mas numa cover gravada por nós em estilo vanguardista.

Apresentei-me no backstage à hora combinada, mas nada se passava. Estava o quizz a decorrer e pelo pouco que vi pareceu-me extremamente complexo. Sentia-me mal, a ferver e ao mesmo tempo gelada, cansada, cheia de dores, cheia de tosse. Estava lá um sofá... Encostei-me, fiz um casulo com o meu véu e dormi ali um bocadinho. Yeee ^____^ Oiço um trovão e pessoas a gritar. Limpo a minha baba e enrosco-me um pouco mais. Yeee ^____^ Quando me chamaram para o skit, fiz tudo automático, como tinha ensaiado, sem mais nem menos, completamente robótica. Queria ter improvisado um bocado, mas não me ocorreu nada. Na verdade, nem lembro muito bem o que se passou. Mas percebi logo que não tinha corrido bem quando o pessoal não se riu (e a coisa tem piada, eu juro). Depois disseram-me que o audio não se percebia, o que pode ter sido tanto defeito do pavilhão (vide parte de cima) como defeito da música, que realmente tinha os vocais um bocado baixos a comparar com o beat.

Enfim, era uma cover desta música maravilhosa, que devia ser viral e que ainda não é, sabe-se lá porquê:

 Fique a nota de que desejo ardentemente fazer cosplay desta personagem marcante

Assim que saí do palco passam-me uma garrafinha de água para a mão e dão-me um lugar no sofá. Graças a deus, obrigada senhor por existirem voluntários! A sério, adoro-vos, aquela garrafinha de água soube à panaceia universal que vem da cornucópia divina. E aqueles bolinhos da sorte trouxeram-me uma sabedoria imensa e salvaram-me também porque não comia nada desde o pequeno almoço e sentia-me demasiado fraca para comer.

Depois chamaram-nos ao palco e disseram para dançar. Eu tentei, eu dei o meu melhor, mas só consegui abanar os braços para cima e para baixo como se sofresse de uma doença obsessivo-compulsiva de características zombies. Entregaram os prémios, bastante merecidos por sinal, e disseram para dançar mais e eu fugi na velocidade máxima que o meu estado me permitia. Dançar mais não, por favor! ;___; Sentia-me como se tivesse acabado de correr a ultra-maratona dos cem quilómetros no meio do deserto...

Damos umas voltas e reparo que o bar se encontra encerrado. Todo o dia. Bem, a verdade é que no Sábado andavam a correr uns rumores dramáticos (que já se dramatizaram mais desde que o pessoal acedeu à internet), mas não vamos entrar por aí. Fica a nota de que se nos eventos precisarem de orientação no que respeita a segurança alimentar e respectivo licenciamento, eu trabalho com isso. :>

Estou gelada e arrepiada, portanto vou mudar de roupa e por umas meias e dois casacos. Chego no Painel de Dobradores e sento-me aos pés do Ni. Não apreciei o devido, pois estava demasiado concentrada em não falecer, em vez de estar a ouvir o que estavam a dizer. Fiquei a saber que dependendo da situação a coisa não é assim tão mal paga e em como o Rei Leão revolucionou as dobragens. Na verdade, eu lembro-me com exactidão do que se passou com o Rei Leão. Vi o anúncio na televisão "primeiro filme dobrado no nosso português!" e fui ter com o meu pai dizendo "os miúdos de hoje em dia são tão estúpidos que não percebem o português do Brasil e agora fazem os filmes em português de Portugal!" E jurei que nunca mais na vida ia ver um filme da Disney. Mas depois ofereceram-me a cassete e que remédio tive eu! De resto, até foi engraçado. Fora a parte de toda a gente gritar quando alguém falava. E a parte de eu estar cheia de dores febris a delirar com o que me rodeava.

Fomos ver se eu aquecia um bocado ao sol. E eu gelada. Só os pés estavam quentes. Queria ter esperado pelo workshop de fotografia. Queria mesmo. Sobretudo porque o Zé queria muito ir e tinha o máximo interesse em ir. Mas o Ni também não se estava a sentir bem, também dormiu mal agasalhado... E ainda faltava meia hora para começar. E ia durar duas horas. Será que íamos aguentar?

Não. Fomos embora. Fiquei mesmo triste. Odeio estar doente, mas fico sempre assim quando muda a estação do ano. Fiquei de descobrir o que se passou para dizer ao Zé Gato, que perdeu o workshop a que queria mais ir por minha culpa, porque eu sou uma pessoa fraca e doente que devia viver dentro de uma bolha esterilizada para funcionar no meio da humanidade. Portanto, se alguém tiver as apresentações ou pelo menos possa indicar um resumo do que se passou, ficaríamos imensamente agradecidos! Obrigada! ;_;

Já agora, sabiam que o Zé Gato sabe tirar umas fotos? Sabe mesmo! Vejam lá!

Fotos Jeitosas de Domingo
(A sério, são muitas, não dá para por todas no blog ou então vão ficar aqui até ao dia internacional do Pi à espera que carreguem. O ficheiro também tem uns vídeos, já agora)


 A Pocahontas olha para o lixo da humanidade










Mesmo cheios da sangue e a morrer, manter sempre o bom humor :)

Entretanto dormi catorze horas seguidas, enfardei-me de benurons, maxilases e hidrotricines e hoje fui trabalhar debaixo de chuva torrencial. Agora escrevo esta missiva.

Portanto, espero que se tenham divertido. Eu diverti-me! Na verdade, o evento não teve nada de errado a apontar. É certo que houve coisas que as pessoas podem levar a mal, disse-as todas. Mas a mim não me causa espécie. Não houve grandes atrasos. Não houve erros no palco. Isso foi excelente! Em relação ao ano passado, não surpreendeu, mas também não ficou aquém das expectativas. Na verdade, só espero que este evento melhore de ano para ano e que se supere cada vez mais e de maneiras diferentes! Parabains! =D

A todas as pessoas a quem falei de maneira desconexa no Domingo, peço desculpa. A todas as pessoas que gostaram das minhas personagens, muitos obrigadas!

Por agora, é tempo de descansar. Se bem que é estranho chegar a casa e não ter um cosplay para fazer... Haha!


Sem comentários:

Enviar um comentário