14.5.13

Gate Keepers 21

Gate Keepers 21
Watanabe Takashi - Gonzo
Anime OVA - 6 Episódios
2002
6 em 10

Com Gate Keepers 21 celebramos o post quatrocentos e um do Não me Apetece Estudar! Em breve faremos aniversário outra vez e prepararei algumas prendinhas para vós... Se bem que no ano passado não consegui oferecer todas, porque duas das pessoas (Atlantida e Diana Tinoco) não me responderam ou, quiçá, não receberam a mensagem. Se virem isto por favor contactem-me para vos dar os vossos prémios! Para mais informações, consultem o post do Dar Embora. :)

Mas falemos deste anime, que é muito interessante.

Esta Tóquio está a ser atormentada por umas criaturas, os Invaders. Eles infectam as pessoas e estão a tentar infectar toda a gente, como um bom vírus o deve fazer. E aí aparecem-nos os Gate Keepers, pessoas que têm o poder de abrir  as Gates (ou usar Gates artificiais por telemóvel) e destruir os Invaders, por forma a reaver a pessoa que eles foram em tempos. Isto é, meninas mágicas. Pois é, quase dez anos antes das Megucas já tinha havido uma desconstrução do género! E como são só seis episódios, eu diria que não perdem nada em vê-lo, não para comparar mas para observar como se podem fazer duas coisas tão diferentes com o mesmo objectivo (e níveis completamente diferentes de hype). Infelizmente, a história acaba por cair no cliché no último episódio e existem várias coisas por explicar. Isto é uma sequela, se bem que dizem que pode ser vista sem se saber nada do Gate Keepers original (foi o que eu fiz, porque não sabia que isto era uma sequela), pelo que podem haver elementos que foram explicados antes e que se perderam aqui. Coisas como, o que são os Invaders exactamente, o porquê da motivação da Rapariga Fantasma, o que são as Gates, até mesmo "porque é que a personagem principal usa óculos sem graduação", são coisas que teriam dado mais conteúdo ao conceito.

Nota dez para os voice actors, que caracterizaram perfeitamente a personalidade dos personagens. A personagem principal é muito interessante, com uma certa vertente "noir" no seu pessimismo e aborrecimento para com a vida, mas o desenvolvimento cai no lugar-comum do "temos de ser amigos para vencer o mal". Já Miu (nome fácil de decorar) tem um desenvolvimento bem mais interessante, passando da menina atrasadinha para uma pessoa com medos e fraquezas, que tem de os ultrapassar para conseguir sobreviver.

Existem alguns momentos de grande animação, sobretudo as lutas da moça que tem as espadas. Também existe uma perseguição de carros e muitas explosões. Isto será do agrado da maioria dos fãs de anime, que já percebi que gostam muito de lutas, e a verdade é que se encaixa bem no anime. A tonalidade escura dada às lutas adiciona à melancolia da personagem principal, se bem que alguns gags comédicos destoam bastante do teor impresso à série inicialmente.

A música também destoa muitas vezes. Gostei da primeira OP, pois é sonhadora e melancólica, sugerindo esses sentimentos ao anime.

No geral acho que vale a pena, porque não é tempo perdido.

Sem comentários:

Enviar um comentário