9.5.16

Highschool of the Dead

Highschool of the Dead
Araki  Tetsurou - Madhouse Studios
Anime - 12 Episódios
2010
7 em 10

Este anime é tão famoso e tão falado, que eu sabia mais ou menos o assunto que ia tratar: zombies e mamocas aos pulos. No entanto, acabou por me surpreender de tal forma que foi um vício absoluto até o terminar!

É um dia de escola normal, quando aparecem os zombies! Os sobreviventes a esta primeira razia, têm agora que se unir e lutar contra esta força imparável e perigosamente difícil de vencer. Isto é a premissa habitual de um filme ou série com este tema: falar da luta pela sobrevivência de um grupo de pessoas. Temos zombies clássicos, desprovidos de intelecto e com alguma rapidez, em grandes números. Temos armas improváveis. E, sobretudo, temos muita roupa interior e grandes planos de anatomia feminina.

Em que é que isto pode ser bom, perguntam vós? Tudo isto acaba por se aproximar da excelência a partir do momento em que os nossos personagens são desenvolvidos até ao tutano, revelando muito mais do que se poderia esperar dos modelos femininos de animes do mesmo género, ecchi. Cada personagem é revelada em várias camadas de complexidade, acabando por demonstrar ser muito mais do que aquilo que aparenta quando colocados em situações cada vez mais agressivas, quer em termos físicos quer psicológicos. Para além disso, a "força" física de cada personagem, e os talentos que podem ser usados na luta contra os zombies, é estabelecido logo desde o início, sendo que em todos eles há uma patente evolução na capacidade de resolução de problemas que torna toda esta aventura numa experiência quase fatigante: é como se nós, espectadores, também ali estivéssemos em guerra contra estas criaturas.

A animação é extraordinária em todas as cenas de acção, sendo que estão coreografadas lindamente, sem nunca esquecer o abuso de esguichos de sangue. O ambiente é negro, fazendo uso de uma paleta escura para simbolizar o desespero destes personagens. Acredito que a maioria dos críticos fiquem de pé atrás pelo exagero das formas femininas (que aparecem em todas as situações, desde suporte para espingardas até miss t-shirt molhada), mas para mim este elemento foi - tal qual um filme B do piorio - parte do "estilo" escolhido para apresentar a história. Certamente que algumas cenas, sobretudo as envolventes de planos amorosos um pouco mal definidos, me desagradaram um pouco. Mas posso afirmar que este anime não ficaria melhor sem as cenas ecchi: as cenas ecchi fazem *parte* do anime.

Musicalmente, temos muita variedade, toda ela bastante apropriada ao contexto, havendo diversas EDs quase viciantes por onde escolher.

Foi um anime que me tocou de certa forma, um exemplo do excelente que se pode fazer dentro de um género que tem tanto de mau como de pessoas que o apreciam. A frase final arrepiou-me e, num todo, é um anime que recomendo vivamente, até para os que não são fãs do estilo.

Sem comentários:

Enviar um comentário