2.11.15

s-Cry-ed

S-Cry-Ed
Taniguchi Gorou - Sunrise
Anime - 26 Episódios
2001
5 em 10

Tempo para mais um anime igual a todos os outros!

Numa ilha misteriosa vivem pessoas. Algumas têm um poder chamado "Alter" em que conseguem transformar partes do corpo em partes robóticas ou monstruosas (e todo o corpo, mais para o fim). Mas há uma associação maléfica que os quer apanhar a todos sabe-se lá porque razão. Então há lutas diversas e grandes tragédias, mas com a força dos grandes punhos e dos meu tomodachi vamos conseguir vencer as forças do mal!

Uma história fraca, em tudo semelhante a coisas que nos mostraram na mesma época (início de 00s, fim de 90s), que prima por ser indistinguível e por ter diálogos fraquíssimos. Na verdade, quase não precisava de olhar para as legendas, pois tantas vezes (tantas, tantas) já ouvi estas frases feitas e este sotaque de palavras terminadas em "oy" ou "yo". Para ajudar à desgraça, temos um conjunto de personagens perfeitamente insosso, em que o suporte que dão uns aos outros acaba por cair, outra vez, no lugar comum. De certa forma há um exagero, que poderia ser considerado se não fosse tão foleiro.

Nisto a música contribui bastante. Temos três tipos de temas, que não se adequam em nada a nenhuma das situações e apenas lhe dão mais sabor a queijo. Primeiramente, umas tonalidades espanholadas que se inserem nas cenas de acção, mas que fazem os personagens parecerem-se com o Enrique Iglesias. Segundamente, umas peças orquestrais ali metidas a martelo. Mas o que ganha a taça são os curtos instrumentais jazzísticos que nos recordam os filmes eróticos marados dos anos 70. Enfim, é tudo absolutamente anti-climático e apenas contribui para que a história seja ainda mais ridícula. As peças, individualmente, não são más. Mas dentro da série...

Artisticamente, é bastante fraco. Os cenários e as pessoas em geral não têm qualquer tipo de detalhe, sendo que o valor de produção é gasto em transformações espectaculares e designs estranhos e pouco imaginativos.

Um anime fraco que, digo eu, nem vale a pena ver.

Sem comentários:

Enviar um comentário