23.3.15

Song of the Sea

Song of the Sea
Tomm Moore
Animação
2014
8 em 10

Dos nomeados para os Óscares, faltava-nos ver este, que ainda não tinha chegado à internet numa boa versão (nem aos cinemas, nem a lado nenhum). E agora, posso dizer com segurança qual o filme que acho que deveria ter ganho o prémio em causa: este. Um filme maravilhoso.

A história baseia-se nas lendas e mitos do folclore do Norte, nomeadamente da Irlanda. Aprendemos aqui a lenda do "selkie", uma espécie de foca que se transforma em pessoa quando toca na terra. Juntando várias lendas, vivemos então uma aventura de uma menina que tem de voltar ao mar e do seu irmão humano. É um filme muito interessante no respeitante a todas estas histórias folclóricas paralelas, que são fascinantes e que merecem mais estudo da minha parte. Mas também porque conta um drama familiar, dos dois irmãos que não se compreendem, dos pais ausentes e da dor da perda. Neste aspecto, identifiquei-me muito, pois tenho uma irmã (bem, duas) e a nossa relação podia ser bem melhor. Talvez precisemos de uma aventura com bruxas, foquinhas e fadas para nos unirmos finalmente.

A animação é extremamente original. Baseada em desenhos que podem ter uma inspiração em aspectos tradicionais, faz um uso discreto dos meios digitais que se encontra muito bem integrado neste conjunto de imagens em 2D. A paleta de cores é muito completa, fazendo uso de todo o tipo de matizes nas cenas de mar e floresta, o que traz um conjunto de texturas visualmente muito agradável. O design dos personagens é simples e directo, mas de certa forma sincero. Para mais, as cenas de acção e cenas marítimas fazem uso excelente da técnica e perspectivas.

Finalmente, não posso deixar de falar da música. A banda sonora é quase revolucionária, apresentando-nos músicas românticas, lentas e com um toque de surrealismo, mantendo sempre a tradição. Variações do mesmo tema, são intrigantes e apaixonantes, provocando uma imersão completa no universo do filme.

De todos os filmes nomeados este foi sem dúvida o que mais me apaixonou, que me comoveu e que me tocou. Assim, recomendo-o vivamente. Apropriado a todas as idades, é um conto de fadas diferente e que não merece ser esquecido.

Sem comentários:

Enviar um comentário