23.3.15

O Estrangeiro

O Estrangeiro
Albert Camus
1942
Romance

Comprei este livro na Feira do Livro, porque já tinha lido um do Camus, predecessor deste, e tinha gostado imenso. Posso dizer que também gostei imenso deste: li-o numa assentada. Comecei-o de manhã enquanto esperava pela minha vez para arranjar as unhas e terminei-o à tarde quando estava no barco a ir para Cacilhas.

"O Estrangeiro" é um homem inadaptado. A narrativa começa com a morte da mãe deste personagem, que estava num lar e vai a enterrar. A sua atitude perante este facto, e perante a vida em geral, pode ser caracterizada como "neutra". Na verdade, este homem passa pela vida como se ela não existisse, aproveitando as coisas de que gosta e sofrendo com as que não aprecia, mas tudo de forma bastante indiferente. Sabemos que gosta de nadar no mar e ir à praia. Sabemos que responde secamente, e de forma positiva, às acções dos outros porque, simplesmente, não quer saber.

É quando mata um homem, acidente ou não, que a sua atitude perante a vida começa a torná-la um pouco complicada. Assistimos ao seu julgamento e interrogatórios e sabemos que a sua condenação é injusta: nós conhecemos esta pessoa e temos uma ideia do que o levou a cometer o assassinato. Vendo bem as coisas, a culpa não é dele. Mas é uma pessoa diferente, um "estrangeiro" no meio de todas estas pessoas. Ninguém o consegue compreender e ele não se esforça por se fazer entender. 

Assim, o livro tem uma força profunda e delicada, relatando-nos factos que podem ser considerados surreiais com tanta naturalidade que simplesmente os aceitamos como verdadeiros. A história desta pessoa diferente podia ser a de qualquer um que esteja um pouco deprimido ou que não se encontre na sua melhor forma. Considerando os problemas graves da sociedade de hoje em dia, que se baseam muito nesta premisa, Camus conta uma história extremamente actual.

Para mais, a escrita tem momentos de extrema beleza, em que o autor tece considerações ligeiras - mas importantes - sobre a vida e sobre emoções e sentimentos.

Gostei imenso e mal posso esperar por ler outros livros do autor.

Sem comentários:

Enviar um comentário