8.7.14

Yowamushi Pedal

Yowamushi Pedal
Nabeshima Osamu - TMS Entertainment
Anime - 38 Episódios
2013
5 em 10

Ah pois. Faltava este. Ainda faltava acabar este e agora já posso atirar-me de cabeça à próxima season (que parece bem mais interessante do que esta que acabou). A verdade é que esta série me passou tão ao lado que em muitas semanas me esquecia de ver o episódio.

Vamos esclarecer: eu gosto de animes de desporto. Gosto da fantasia toda que há nos animes de desporto, o ultrapassar das barreiras físicas e psicológicas, a evolução e o trabalho de equipa. Mas não sei o que se passou com este anime... Simplesmente não consegui "entrar" nele. Talvez seja porque o ciclismo é um desporto chatíssimo. Aliás, para mim quase todos os desportos são chatíssimos, mas em anime ficam divertidos. Yowamushi Pedal não consegiu tornar o ciclismo divertido. 

Observamos, então, um treino muito agressivo (qualquer coisa como pedalar 1000 quilómetros) e uma corrida com duas etapas. Na corrida encontramos outras equipas - desconhecia totalmente que o ciclismo fosse um desporto em equipa - mais fortes e mais fracas, oponentes e rivais. Talvez a narrativa não funcione bem pela natureza do próprio desporto. Em animes normais, vemos jogos e cada jogo dura o quê... Três a cinco episódios? Aqui temos uma dúzia de episódios para uma etapa de uma corrida. É simplesmente demasiado longo e não há assim tantas coisas a passar-se num bicicletamento que consigam tornar isto fascinante.

Em termos de personagens, isto tudo começa com um jovem ota-cu que bicicleta pela montanha acima a cantar a música das princesas. É captado para uma equipa e participa na corrida, onde encontra companheiros e rivais, cada um com o seu estilo único. Aqui, o anime é típico: cada um tem as suas poses, as suas expressões faciais e o seu "super-poder", isto é, a sua técnica que irá vencer (pelo menos durante aquele ameaçador episódio) Não sei se estas técnicas são realistas ou não, mas - sinceramente - não me parece que seja especialmente eficiente balançar de um lado para o outro da bicicleta ou arrancar os elásticos dos calções.

Algo de bom: a arte. Apesar de não conseguir manter a minha atenção nas corridas, tem alguns momentos de tensão que, não sendo conseguidos pelo diálogo, são conseguidos por imagens interessantes de biceclamento, poses movimentadas que despoletam interesse.

A música pouco tem de especial. Nos momentos de emoção há efeitos sonoros a acompanhar que os ilustram. Aberturas agradáveis, mas finais com pouco que se lhes digam.

No geral, um anime desapontante, que me fez perder um pouco a fé no género.

Sem comentários:

Enviar um comentário