17.7.14

Petshop of Horrors

Petshop of Horrors
Akino Matsuri
Manga - 41 Capítulos / 10 Volumes
1995
6 em 10

Tinha extrema curiosidade em ler este manga desde que vi o curto OVA de quatro episódios.

Existe uma loja na Chinatown que vende toda a espécie de animais estranhos. Em cada um dos pequenos contos deste manga, conhecemos um dos animais - com uma caracterização muito humana - e qual a consequência de os ter.

Cada história e animal tem um tema: cada animal representa os problemas que os personagens das histórias têm (de crianças mimadas a pessoas que querem emagrecer) e a forma como são capazes de os resolver. Ou não. Isto é um conceito muito interessante, o de antropomorfizar animais para falar de problemas humanos, mas a realização de cada história fica aquém das expectativas. Todas elas parecem demasiado curtas, com muitas pontas soltas que poderiam ser exploradas, e muitas vezes com consequências que aparentam ser forçadas apenas para o término da história. Cada animal tem um conjunto de regras, escritas num contrato, que rapidamente são esquecidas à medida que os capítulos avançam.

Para além disso, os elementos de comédia aparecem de maneira muito pouco adequada, cortando com o ritmo da narrativa e acrescentando muito pouco.

Existem poucos personagens recorrentes, que são extremamente simples. O detective parece apenas funcionar como mecanismo para avanço da narrativa e Chris, o seu irmão, tem uma história um pouco estranha e demasiado prolongada, que poderia ter sido concluída de forma muito mais simples. No entanto, o personagem principal - Count D - é extremamente interessante. Como nos é explicado nos capítulos finais, há mais nele do que uma aura de surrealismo e mistério. Achei fascinante este personagem, sobretudo a forma como fala com os animais. Tanto mais que o vou adicionar à minha lista de projectos de cosplay, conforme podem consultar no meu Cosplay Portfolio. :)

Em termos artísticos, temos tanto momentos muito bons como momentos muito confusos. Existem várias sequências de sonho que, embora tenham uma aura muito própria, são bastante estranhas no que respeita ao uso de perspectivas. Existem muitos brilhos, que funcionam. O design antropomórfico dos animais por vezes (muitas vezes) é pouco claro e é impossível perceber de que animal se trata sem consultar o "catálogo" que vem no final de cada volume.

Um manga que vale a pena pelo personagem principal e pelas suas roupas. De resto, muito pouco a considerar.

Sem comentários:

Enviar um comentário