28.7.14

Only Lovers Left Alive

Only Lovers Left Alive
Jim Jarmusch
2013
Filme
7 em 10

Quando se chega a casa de madrugada, ao invés de dormir, o que se faz? Ver um filme! Desta feita calhou-nos este, um filme sobre vampiros com um twist bem diferente.

Adam vive numa cidade abandonada nos arredores de Detroit, fazendo música para si próprio e alimentando extrema negatividade para com a vida e todas as outras situações. Poderia dizer-se que tem até umas certas tendências suicidas. Eve vive em Tanger, aproveitando o melhor da vida. São um casal e, por sinal, são vampiros. Voltam a reunir-se quando Eve, preocupada, viaja até Detroit para colocar algum sentido na vida cansada de Adam. E tudo corre bem até à chegada de Eva, uma irmã maluca que lhes vem perturbar a paz.

Para variar um pouco dos romances de vampiros, cheios de efeitos especiais e muito sangue, apresentamos este filme romântico e intimista, que mais explora sobre a condição humana do que o fantástico em si. Estes vampiros são, antes de mais, pessoas. Pessoas que já viveram muito tempo e que, portanto, estão cansadas. Já influenciaram muito da história, mas têm de viver sempre discretamente. E é essa frustração e tristeza que vive em constante oposição no filme, já que os personagens são polos opostos que, ainda assim, se amam e fazem um elemento único.

De certa forma, os vampiros podem ser apenas um símbolo, uma representação do mundo da droga. Isto se formos pela reacção que acontece quando bebem sangue. Assim, o filme tem uma nota mais negra, mais deprimente, da relação do vício contra a tentativa de viver vidas normais e sossegadas.

Para além de imagens muito bonitas e, sem dúvida, com um estilo muito moderno, temos uma banda sonora invejável. Estes vampiros vivem a música e, neste momento, vivem o rock. Temos momentos de concertos ao vivo, temos momentos de gravações caseiras, enfim, temos música por todo o lado. Isto dá um efeito ainda mais pessoal à narrativa, que nos faz sentir que estas pessoas poderiam ser apenas os nossos vizinhos (e estaria tudo bem, porque são perfeitamente pacíficos)

Um filme que se vê muito bem e que tem a sua quota de humor negro para alegrar as nossas madrugadas.

Sem comentários:

Enviar um comentário