29.9.15

Arslan Senki

Arslan Senki
Abe Noriyuki - Magic Capsule
Anime - 25 Episódios
2015
6 em 10

Este anime já veio da season que passou, a de Inverno. Desses, é capaz de ter sido o melhor. Simplesmente porque é bastante diferente do que os animes que têm dado nas televisões japonesas ultimamente.

Para começar, o ambiente, o universo deste anime, é muito original. Passado numa terra com tendências medievais, algo como uma mistura entre a antiga Ásia e o Médio Oriente, fala de uma guerra de encontros e enganos, com foco num príncipe perdido, Arslan. Sendo que este príncipe procura recuperar o seu trono, que lhe foi arrancado com a brutal morte do pai numa guerra de traições, desenvolvem-se então muitas estratégias interessantíssimas e bem pensadas, que culminam em diversos combates, quer a nível colectivo quer individual. Para que isto possa acontecer, temos um conjunto de personagens provido de inteligência estratégica que ajudam Arslan a conseguir os seus feitos. Têm uma boa caracterização, mas não sofrem qualquer tipo de desenvolvimento. No entanto, Arslan tem melhorias visíveis desde o início da série, apesar de se processarem de forma muito discreta. Só conseguimos reparar na mudança se colocarmos lado a lado a pessoa do primeiro episódio com a que temos no último. E, devo dizer, é verdadeiramente surpreendente.

Infelizmente, a narrativa tem algumas pontas soltas que nunca voltam a ser relatadas, esquecendo-se de personagens e de factos que aconteceram e passando a ignorá-los como se nunca tivessem ocorrido. Muitas vezes algumas acções não têm qualquer consequência, dando essa aparência de terem sido esquecidas, e também muitas vezes ficamos a pensar o que aconteceu a tal ou tal pessoa.
 
Coisa que também não liga bem com o ambiente, um pouco negro, da série são os momentos de humor que aparecem nas situações mais inusitadas, tornando tudo muito anti-climático e quebrando a concentração do visionante.

A animação tem uma grande utilização de CG que, nas cenas de grandes batalhas, destoa bastante do resto dos designs. Existem, sim, algumas batalhas que são surpreendentes não pela animação mas pelo contexto. Falo, nomeadamente, da batalha contra o exército de elefantes. Mas, enfim, a animação não é especialmente brilhante. Os designs são interessantíssimos e muito variados, não deixando de ser completmaente originais.

Na música, temos uma variedade de OPs e EDs muito enérgicas que podem ser um pouco desadequadas dentro do contexto clássico do ambiente do anime. No parênquima temos peças que se coadunam com as situações, tornando-as mais intensas ou comoventes (ou, palavra que odeio, "épicas"). Destaco o trabalho do actor de voz de Arslan, que transmite na perfeição o seu crescimento enquanto pessoa e personagem e a sua transição para uma vida adulta.

É um anime curioso pela sua originalidade, que será sobretudo apreciado para quem goste deste contexto em cenas de estratégia e grandes batalhas hípicas.

Sem comentários:

Enviar um comentário