8.4.13

Jojo's Bizarre Adventure

Jojo's Bizarre Adventure
Tsuda Naokatsu - David Production
Anime - 26 Episódios
2012
7 em 10

Jojo? Jojo dispensa apresentações. Fã de anime que é fã de anime já terá ouvido falar de Jojo em algum momento da sua vida certo? É que é mesmo importante. 8 partes de manga já desde os 80s, um culto verdadeiro em volta disto. Temos um OVA antigo e tudo. E agora, finalmente, temos um anime para a televisão! Contempla a parte 1 e a parte 2 e os dois primeiros Jojos (pois cada parte tem um Jojo diferente. E são Jojos porque os seus nomes dão Jojo como diminutivo. Jojoooo)

E que hei-de dizer? O pessoal desta comunidade gosta muito da palavra "épico". É essa a que eu vou usar.

São duas histórias que têm em comum o Jojo, uma máscara de pedra, seres imortais, grandes vilões e um poder físico chamado "ripple" (ou "hamon"). A história é exagerada, fora da linha, uma série de impossibilidades. Mas está escrita de forma inteligente e é refrescante ver como os inimigos, cada vez mais fortes como é clássico num shounen, são vencidos não pela força bruta mas por uma série de truques e soluções originais. Os personagens são fascinantes, quer sejam bons ou maus. Ser bom ou mau é quase preto no branco neste anime. Na primeira parte, Dio Brando (mau como as cobras) é o móbil perfeito para o desenvolvimento. Tem características muito próprias, muda muda, wryy. Já na segunda parte, é Jonathan Joestar - Jojo - a estrela que faz o anime andar para a frente. Excelente trabalho do voice actor, como não podia deixar de ser, já que li algures que é fã de Jojo desde pequeno.

Infelizmente, a arte é bastante inconsistente e a censura para a televisão muito evidente. Esperemos pelos blu-rays. Enquanto que em certos momentos temos uma animação de lutas com coreografias que roçam o brilhante, na maior parte das ocasiões há exagero de CG e anatomia descuidada. Ainda assim, vale a pena pelas cores, pelo brilho, pelas roupas e pelas poses. Já dizia o meu amiguinho monocromático "isto parece extremamente gay, mas também parece extremamente fixe". Quanto a roupas, fiquem sabendo que a influência do estilo de Jojo na street-fashion não é um acaso. Gostaria de ter comprado o livro em que falam disso em mais profundidade mas estava todo em Japonês e eu ainda não percebo.

A música é um elemento importantíssimo e torna o anime uma obra muito mais divertida, rica e interessante. As referências são mais que muitas, de Santana a Dire Straits, mas a banda sonora em si trás efeitos inesperados e uma emoção muito especial. E fez-me ir conhecer algumas coisas que não sabia.

Sem dúvida o melhor anime do Outono de 2012 e se calhar o melhor do ano. Não posso confirmar porque não vi tudo. Vale a pena e recomendo. Não é por ser bom. É por ser deliciosamente divertido.

Sem comentários:

Enviar um comentário