7.6.14

Darker than Black

Darker than Black
Okamura Tensai - Bones
Anime - 25 Episódios + 1 OVA
2007
6 em 10

Ontem. Chegada a casa, cansada. Tomar banho, aconchegar-me com uma mantinha e água e acabar de ver este anime. Mas tive de dormir sobre o assunto antes de poder escrever sobre ele, por isso aqui estou eu hoje. Foi um anime de que gostei muito, mas por algumas razões não lhe pude dar uma nota para além da média.

A história tem muitos detalhes que não vale a pena colocar numa sinopse. Para os saber, sugiro que vejam o anime. Neste universo, existem umas pessoas com poderes, "contractors", que pertencem a "sindicatos" e são ajudados por "dolls". De natureza semi-episódica, o anime conta alguns casos com uma textura de policial, que nos dirigem e dão pistas a uma história muito maior, uma espécie de luta entre o "normal" e o "estranho", uma luta pela sobrevivência de uns ou de outros. Os personagens são interessantes, apesar de não terem muito para se dizer sobre eles. Ao longo de toda a série, foi um prazer ver os diferentes poderes e a "compensação" por eles. Para os personagens principais, o quarteto que se vê na imagem (o gato também é um deles) existem pequenos arcos em que se fala do seu passado e da forma como chegaram até ali. No entanto, nenhum deles é explorado para além da superfície.

Existem dois pontos que me confundiram e graças aos quais não pude dar uma melhor nota. O primeiro, é o sentido de "emoção", o significado que esta palavra tem no universo do anime. Coloco, portanto, duas hipóteses. Primeira hipótese: os "contractors" e "dolls" não sentem emoções. Se assim fosse, o anime não poderia fazer sentido, pois é através das emoções que advêm as atitudes básicas de todos os seres. A tomada de decisão não pode ser feita sem as emoções. Coisas tão simples como o sentido de humor não podem existir sem as emoções. A verdade é que na nossa vida elas são muito importantes para todos os aspectos e poderia mesmo dizer que até os animais mais simples podem senti-las, embora não as possam racionalizar como nós. Segunda hipótese: os "contractors" sentem emoções, mas não actuam baseados nelas. Actuarão, sempre, de uma maneira racional. No entanto, como poderemos definir o "racional" do "não racional"? O sentido de sobrevivência será racional, mas se mudarmos o contexto será que se mantém? A tomada de decisão depende sempre do contexto, portanto será certo dizer que as emoções dos "contractors" são estáveis e não maleáveis como as de todos os outros seres? Talvez ter tido aquela aula de 16 horas sobre emoções não tenha sido a coisa ideal para poder ver este anime e não duvidar do que se passa...

O segundo ponto, foi o final. Parece-me que foi demasiado inspirado em NGE, até nos seus mais ínfimos detalhes. Hei, o personagem principal, é enviado para um universo onde encontra todos os que marcaram a sua vida e aí é lhe dada a oportunidade de tomar uma decisão. Essa decisão, assim que são revelados os detalhes sobre os seus poderes, é bastante previsível e demasiado simples, para aquilo que o anime nos vinha preparando desde o início.

Passemos a assuntos mais objectivos.

Em termos de arte, não temos muito detalhe e as cenas de luta, o showcase da animação, não são especialmente cativantes. No entanto, aponto uma coisa muito boa e que marcou este anime pela positiva, que são as expressões faciais. Quer em momentos cómicos (que achei que poderiam ter sido eliminados sem se perder a qualidade da narrativa) quer em momentos sérios, a qualidade das expressões dá muito realismo a cada uma das situações.

Musicalmente, o anime veio para mim sem OPs nem EDs, portanto vou abster-me de comentar. No que respeita ao parênquima, temos algumas peças muito interessantes que oferecem uma grande de variedade de sentimentos, mas sobretudo a expectativa, quase um thriller.

Gostei muito desta série, mas irei recomendá-la a  apenas a algumas pessoas.

Sem comentários:

Enviar um comentário