20.10.13

O Experimentar Na M'incomoda

O Experimentar Na M'incomoda
Concerto
Esta era a banda que, quando íamos a casa de um certo amigo, era colocada no final e toda a gente se ia embora. Demasiado atrofiante. Por isso, como experimentar na m'incomoda, fui ao concerto que deram a propósito de um festival de coisas tradicionais organizado por um banco, no Museu de Arte Popular em Belém.

Começa tudo de forma estranha, porque afinal de contas estamos num museu. As voluntárias, coitadinhas, nem sequer sabiam que ia haver concerto, mas eram simpáticas. Talvez se contratassem estas pessoas pela competência e não pelo aspecto beto da cara tudo corresse melhor. Enfim, lá se iniciou o concerto. Entrámos um pouco mais tarde e ainda conseguimos sacar uns copos de vinho com vinho a uma moça oficial.

Esta banda é muito bizarra, mas é um bizarro que perturba, assusta e agrada, tudo ao mesmo tempo. O conceito é simples: pegar em canções tradicionais dos Açores e colocar-lhes algo de eléctrico em cima. O resultado é uma sonoridade cheia de texturas, que nos leva para um universo paralelo, o universo de uma ilha onde está sempre nevoeiro, um lugar de isolamento e meditação onde, sem dúvida, há monstros lendários e onde se podem viver aventuras estranhas todos os dias.

Para ouvirem tudo, podem ir ao Bandcamp da banda, aqui. E fiquem com um exemplo:



Quanto ao concerto em si, achei que talvez faltasse uma certa presença em palco. Houve erros surpreendentes, quer da parte deles quer da parte dos técnicos. Mas a presença da Mitó (vocalista d'A Naifa) foi perfeita e ainda bem que ela foi convidada. Gostaria de voltar a ver um destes concertos, talvez num lugar melhor e com mais gente no público.

Fomos aos Açores e voltámos, foi uma grande aventura!


Sem comentários:

Enviar um comentário