24.9.13

Kamisama no Inai Nichiyoubi

Kamisama no Inai Nichiyoubi
Kumazawa Yuuji - Madhouse Studios
Anime - 12 Episódios
2013
6 em 10

E à medida que termina a season, começam a aparecer os respectivos animes neste espaço. Este foi especial, de certa forma.

"O Domingo em que Não Há Deus". Um dia, deus abandonou o planeta terra e as pessoas deixaram de morrer. Assim, existem coveiros para enterrar as pessoas que morrem mas que se continuam a mexer. Esta série segue as viagens de Ai, filha de uma coveira e de um humano. Considero este tema muito interessante, e nos primeiros episódios foi muito bem conseguido. Depois perdeu-se.

Os primeiros episódios, o primeiro arco e parte do segundo também, tinham uma aura de por-do-sol, um ambiente melancólico em que os sorrisos de Ai eram quase comoventes. Mas depois passámos para um tema completamente diferente, até na arte. Passámos para Ai em escolas a conviver com pessoas da idade dela, com pessoas vivas, todas cheias de humor que não correspondiam àquilo que esperava - tendo em conta os primeiros episódios.

A história e as personagens, com tanto potencial, acabam por se perder numa narrativa inconsistente, mais dedicada a apresentar novos personagens do que a explicar o que se passa neste universo e como é que as pessoas vivem com isso no geral. São-nos apresentados pequenas comunidades todas muito diferentes umas das outras, em que o tema de "não se pode morrer" passa a ser praticamente ignorado. As pessoas que ao início são muito interessantes, revelam-se como estereótipos sem grande conteúdo. Safa-se Ai, que age realmente como uma criança de doze anos - o que é raro no anime, crianças a comportarem-se como crianças.

A arte é muito bonita no que respeita aos fundos e à paleta de cores. Desapontou-me que tivesse passado a ser muito mais alegre e colorida, com excepção do momento do "nascimento" dos coveiros, em que foi criado um ambiente realmente surreal, estranho e gelado.

A OP não tem nada a ver com nada, mas a ED aplica-se bastante bem ao sentimento que a série parece querer transmitir.

Fico com muita pena que o painel final seja um "Fin" e não um "Continue", porque ficaram ainda muitas coisas por explicar e que me deixaram muito curiosa. Era uma história com grande potencial para ser desenvolvida em algo com um pouco mais de maturidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário