26.9.13

Free!

Free!
Utsumi Hiroko - Kyoto Animation
Anime - 12 Episódios
2013
7 em 10

E agora sejamos objectivos para observarmos aquele que foi claramente o vencedor em termos de anime da season.

Tudo começou com um PV (que eu não vi), que levou um Tumblr e outras redes sociais feministas ao desespero. TANTO GAJO BOM ISTO TEM DE SE TORNAR REALIDADE. E, não graças às feministas tonhós, isto estava na calha para ser realidade. Uma variação do estilo moe a que a KyoAni nos habituou, exploração de um género diferente que, aliado ao fatia-de-vida despreocupado, funcionou muito bem.

Free é, antes de mais, um anime de desporto. Sobre natação. Quem me conhece sabe como eu gosto de anime de desporto. Motiva-me, faz-me sentir bem. Free contém todos os elementos típicos e outros que o distinguem dentro do género. A história é muito simples (somos uma equipa e vamos vencer), mas a sua nuance são os personagens. Apesar de cada um se inserir num estereótipo que encontramos tanto no anime de desporto como no anime fatia-de-vida, o desenvolvimento das suas relações traz uma variante: somos uma equipa e vamos unir-nos como equipa, fortalecendo as nossas amizades e estabelecendo laços. O resultado é engraçado, comovente, uma série de emoções que não consigo definir. Mas a verdade é que nos ligamos aos personagens como se eles fossem pessoas vivas e torcemos realmente por eles, apesar de sabermos que há outras equipas melhores e que ganhar não é o mais importante.

A arte é exemplar. A animação tem uma fluidez apenas comparável à da água propriamente dita, com uso de perspectivas interessantíssimas para nos interessar por um desporto que prima pela sua simplicidade. É mais pela animação que lhe dou uma nota acima da minha média, porque é realmente um exemplo para qualquer anime.

Em termos musicais, achei a OP despropositada, demasiado trágica para o teor da série. A ironia de ED ficou bem. E nas músicas do parênquima, adicionavam sentimento às cenas, calmante nos momentos trágicos, electrizante nas corridas.

Um anime original que explora as fronteiras entre os géneros, com excelente animação. Não posso deixar de o recomendar.

Nota: isto não tem nada de BoysLove. Fanservice é fanservice quando eles têm de estar despidos para poder nadar? Aproveito para deixar aqui a nota do meu post que explora um pouco os significados do género BL, para se informarem.

Sem comentários:

Enviar um comentário