14.4.14

A Sangue Frio

A Sangue Frio
Truman Capote
1966
Policial (Não-Ficção)

Porque não? 

Eu já tinha ouvido falar bastante deste livro, apesar de não saber exactamente o que esperar. Esperava um policial, ficção misturado com não ficção, mas realmente o que se passa aqui é mais do que isto.

Depois de ter entrevistado muitas pessoas e reunido cerca de oito mil páginas de apontamentos, Truman Capote executou uma reportagem muito extensa que explora o assassinato violento da família Clutter e os seus assassinos.

Primeiramente, é descrita a vida da família Clutter. Realmente, somos forçados a simpatizar com eles, porque são muito boas pessoas e têm sucesso nos seus empreendimentos. Na realidade, cada um deles tem algo que nós gostaríamos de ter. Por isso, quando sabemos que irão ser assassinados, dá uma certa pena: não mais ouviremos falar dos detalhes dos Clutters.

Segue-se o assassinato e a fuga dos assassinos. Até agora, não sabemos porque razão assassinaram estas pessoas, apesar de sabemos porque motivo precisam do dinheiro com que serão recompensados. Aí começa a verdadeira história. Agora as pessoas normais ficaram para trás: vamos conhecer a vida íntima dos assassinos, até ao mais detalhoso detalhe, com uma minúcia preciosa, palavras de relojoeiro. Com tanta informação, não podemos permitir-nos pensar que estes homens são coisas que se possam assassinar. A verdade é que eles têm uma vida, estão plenos de sentimentos, desejos e sonhos. São seres humanos e, assim, o livro serve quase como um apelo à abolição da pena de morte.

Ao início não me prendeu, pois está escrito tal qual uma reportagem se tratasse: de forma fria e imparcial, relatando unicamente os factos. Mas à medida que vamos entrando dentro da mente dos assassinos, é impossível parar de ler.

Um livro a não perder.

Sem comentários:

Enviar um comentário